conecte-se conosco

Resenhas

RESENHA: Asmodexia (2014)

Publicados

em

Asmodexia-poster[1]

Por Geraldo de Fraga

Antes de assistir ao filme espanhol Asmodexia, você precisa estar ciente que verá uma produção de baixo orçamento. Não que isso seja algo que um fã de terror não esteja acostumado, mas nesse caso cabe como um aviso, pois o longa dirigido pelo estreante Marc Carreté tenta ser mais do que pode, sem ter orçamento para isso.

Asmodexia-scene

Na história, um avô e sua neta percorrem os subúrbios de Barcelona realizando exorcismos. O enredo vai seguindo uma contagem regressiva para o “dia do renascimento”, data que só tem o seu significado explicado no final. Não dá para falar mais do que isso, pois Asmodexia é um daqueles filmes que guarda uma grande revelação para os últimos minutos. E esse final é de fato bem amarrado.

Porém, o que acontece até lá decepciona no quesito produção. O longa peca em querer fazer cenas grandiosas que, sem a qualidade necessária, ficam bem mal feitas. Até mesmo coisas mais simples carecem de um cuidado maior. Como exemplo, há um momento em que uma personagem assiste a uma gravação caseira que mostra uma festa hippie e as roupas usadas são iguais aquelas camisas tie dye, vendidas no Alto da Sé, em Olinda.

ASMODEXIA-08-638x360[1]

Sem contar que, tirando a dupla de protagonistas interpretada pelo veterano Lluís Marco e pela jovem Clàudia Pons, o resto de elenco é todo canastrão. Talvez, Asmodexia funcionasse melhor se tivesse sido mais discreto, mas temos que levar em consideração que o roteiro pedia cenas com efeitos especiais e maquiagem de ponta. E por falar em roteiro, é por conta dele que o filme sai do marasmo que tomou conta das produções atuais e vai ganhar uma nota pra ficar acima da média. Feliz ano novo!

Nota: 5,5

Direção: Marc Carreté 
Roteiro: Marc Carreté e Mike Hostench
Elenco: Albert Baró, Marta Belmonte e Pepo Blasco
Origem: Espanha

https://www.youtube.com/watch?v=Z_SMlv2vZnA

Continue lendo
Clique para comentar

1 comentário

  1. Mauro

    26 de fevereiro de 2015 a 10:55

    É mais um exemplo de que a Espanha está com ideias bem melhores pra terror!

  2. Lin Marcondes

    3 de fevereiro de 2016 a 19:07

    eu achei terrivel, sinceramente um dos piores filmes que ja assisti na minha vida, decepcionado, pq o trailer é bem legal! As cenas são forçadas e sem proposito nenhum quando vc ve o final…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resenhas

RESENHA: Ameaça Profunda (2020)

Publicados

em

Ameaça Profunda
[Por Felipe Macedo]
Alien” (1979) foi um divisor de águas no quesito de mesclar gêneros, nesse caso, ficção e horror. Sequências foram realizadas assim como cópias com qualidades que iam do mediano ao lixo total. E agora nesse inicio de década, surge “Ameaça Profunda” (Underwater), um filme com toda pinta do primo famoso, estrelado por Kristen Stewart e coincidentemente do mesmo estúdio. (mais…)

Continue lendo

Resenhas

SÉRIE: Dracula (2020)

Publicados

em


[Por Jarmeson de Lima]
Quando uma produção como “Dracula” é lançada, a nossa primeira preocupação é imaginar o quão fiel pode ser a adaptação da obra original. E no caso, estamos falando de um livro de Bram Stoker que serviu de inspiração para inúmeros filmes nos últimos 100 anos. Sendo assim, o que a dupla Mark Gatiss (Sherlock) e Stephen Moffat (Doctor Who) poderiam nos trazer de novo? Logo nos créditos, os dois deixam claro que esta minissérie da BBC e exibida na Netflix é “baseada” e não “adaptada” da obra original, o que nos faz crer que haja certas liberdades no roteiro sem a intenção de ser uma transcrição fiel da trama com o mesmo personagem que “ganhou vida” em 1897.
(mais…)

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: O Farol (2019)

Publicados

em


[Por Rodrigo Rigaud]*
Após A Bruxa, difícil resistir a lançar holofotes sobre o novo longa de Robert Eggers – ainda o segundo de sua carreira. Para quem mergulhou no universo de isolamento, fanatismo, loucura e fantasia – um horror, de fato – de seu filme debut, O Farol (The Lighthouse) poderá soar como um naufrágio na potência de seu cinema. (mais…)

Continue lendo

Trending