conecte-se conosco

Resenhas

RESENHA: Musarañas (2014)

Publicados

em

musaranas_poster

Por Geraldo de Fraga

Sob a batuta de Álex de la Iglesia (que assina como produtor executivo e tem o nome estampado no poster), Esteban Roel e Juanfer Andrés (esse também roteirista) estreiam ambos na direção de longas com Musarañas (2014). A produção espanhola de baixo orçamento correu por festivais da sua terra natal e colecionou críticas positivas, além de algumas premiações.

Musarañas-2014Musarañas (musaranhos, em português) são pequenos mamíferos roedores conhecidos por viverem em ninhos bem escondidos e pela ferocidade, apesar do pouco porte que possuem. É fazendo essa analogia, que o filme conta a história de duas irmãs que vivem em um apartamento de Madrid, nos anos 50, e mantêm uma rotina que não muda há anos. Isso porque a mais velha delas, Montse (Macarena Gómez), sofre de agorafobia. Como esse seu medo de lugares abertos a impede de sair de casa, ela trabalha no próprio apartamento como costureira. Já a mais nova, interpretada por Nadia de Santiago, tem a saúde normal e entra e sai do prédio ao seu bel prazer.

Mas Montse, além de problemática, é uma fanática religiosa que começa a se preocupar com o amadurecimento da irmã que criou desde pequena, após a mãe morrer no parto. Como se essa relação já não estivesse causando problemas suficientes para ambas as partes, um acaso da natureza é responsável por uma reviravolta em suas vidas. Carlos (Hugo Silva), vizinho do andar de cima, bate à porta pedindo ajuda, após cair da escada e quebrar a perna. Mesmo assustada, Montse o socorre e o leva para dentro. Mas ao invés de chamar a polícia, ou qualquer autoridade responsável, ela prefere mantê-lo trancafiado como forma de trazer para sua vida um pouco do mundo exterior do qual não consegue ter acesso.

IpYIFCUZsE5zUCSdSXwKJEL8IzNvAY9AjfeUM5BrFkKMbKZ7S7ZHUl_BS74wV2Svoz7Boix89IvRHrc0QTS9EflTrIl7SvRWKM8l4VUA1pG_4mwn1VLzPwQbFhz7ZROX09uGWd05cigbGPc98tfFapuAYSQjzSeEw4zEkD94WV8WEUx2kxbS3nJii4urYIyX6uGS1gbvkr7knQm4pAP_O filme ganha contornos de outra obra com enredo semelhante: Louca Obsessão (Misery), onde a personagem de Kathy Bates mantém o pobre do James Caan preso em sua fazenda. Mas aqui, além de motivações diferentes, temos a presença da irmã mais nova pra cima e pra baixo dentro do apartamento. E é aí que o filme perde um pouco a mão, já que Montse, a princípio, tenta manter em segredo a presença de Carlos em seu quarto. Mesmo com todos os cuidados, a jovem descobre e começa a visitá-lo. Nesses encontros, ela passa a alertá-lo sobre os problemas psicológicos da sua, digamos, anfitriã.

Como o filme se passa todo dentro do imóvel, temos várias cenas da garota esgueirando-se pelo apartamento para não ser vista. Essa repetição cansa e torna a situação bem iverossímel. A passividade da personagem de Nadia de Santiago também incomoda. Ela se mostra preocupada com a situação de Carlos, mas em nenhum momento decide chamar ajuda ou confrontar a irmã. Além do mais, segue sua rotina normal de trabalho como se aquela situação só afetasse sua vida quando ela entrasse em casa. Talvez essa fosse mesmo a intenção do roteiro, mas ficou estranho, já que a garota é o ponto de sanidade da história.

126654Também pesa contra Musarañas o fato de querer apresentar novas e novas reviravoltas, a cada momento chave. Como o cenário é reduzido, espera-se de fato que o roteiro se concentre na interação entre os protagonistas, mas a mudança constante de direcionamento dá ares de dramalhão à história. A dupla central da trama desequilibra no quesito interpretação. Apesar de Nadia de Santiago decepcionar um pouco em sua atuação, Macarena Gómez se entrega totalmente ao papel, principalmente quando sua personagem surta por completo. Não foi à toa que esse trabalho lhe rendeu indicações aos prêmios de melhor atriz no Cinema Writers Circle Awards e no Goya Awards.

5554ceabcb0bcMas, tirando a carga dramática por vezes excessiva, temos aqui mais um exemplar de cinema espanhol que não pode passar desapercebido pelos fãs do gênero. Mesmo com suas falhas, Musarañas está acima da média das produções atuais. Talvez uma história mais enxuta transcorresse melhor. Mas o que seria do cinema latino sem o dramalhão, não é?

Escala de tocância de terror:

Direção: Esteban Roel e Juanfer Andrés
Roteiro: Juanfer Andrés
Elenco: Macarena Gómez, Nadia de Santiago e Hugo Silva
Origem: Espanha

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo
2 Comentários

2 Comments

  1. Cabelo

    5 de junho de 2015 a 17:30

    Filmão, pra quem curte uma boa trama!

  2. dan

    13 de junho de 2015 a 14:41

    Acabo de assistir o filme e concordo com a sua critica!
    Muito acima da media de outras produções,atuação fantastica da atris que interpreta montse,e o que torna muito inverossimel de verdade é a falta de atitude e preocupação da irmã,um pouco de gore não faria mal a ninguém não é?
    Altamente recomendado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resenhas

RESENHA: Amizade Desfeita (2015)

Publicados

em

Amizade Desfeita

Parece que o formato ´captura de tela´ é o novo ´found-footage´ que veio pra ficar. Agora é a vez da Universal Pictures que resolveu apostar nessa produção da Blumhouse Productions (Sobrenatural, The Purge, Ouija) intitulada Amizade Desfeita (Unfriended) que não passa de mais um filme genérico de fantasma vingativo contra adolescentes descerebrados.

Unfriended.2014.720p.WEB-DL.600MB.MkvCage.mkv_snapshot_00.00.55_[2015.08.01_02.27.24]

O filme abre com um vídeo flagrante de uma garota chamada Laura Barns cometendo suicídio e sabe-se logo em seguida que a mesma era vítima de cyber-bullying. Com roteiro de Nelson Greaves e direção de Leo Gabriadze, o longa nos mostra tudo através da captura de som e imagem da tela do notebook de Blair, que após assistir tal tragédia, se conecta com o namorado, Mitch, pra fazer amorzinho virtual pela webcam. Tesão, hein? Eis que de repente, quatro amigos invadem o chat do casal formando uma conversa em grupo no por Skype. Ô beleza! E para quebrar o clima valendo, um usuário não identificado entra na vídeo conferência grupal e começa a tocar o terror pra cima da galera.

Vale lembrar que essa narrativa ‘web-footage’ não é novidade, pois já foi utilizado pelos eficientes The Den (2013) e Open Windows (2014 – com Sasha Grey e Elijah ´Frodo´ Wood). É uma pena que no caso de Unfriended, essa escolha não foi das mais felizes, pois ao contrário do já citado Open Windows, a câmera não passeia pela tela da protagonista, ficando em uma tela cheia estática que, vez por outra, vira uma confusão de janelas abertas de tudo quanto é site e aplicativos. Por falta de criatividade(?) ou para criar mais senso de realidade, não foram criados programas fictícios. Sendo assim, tudo roda num MacBook com seu iOS, os aplicativos são o Skype e Messages, os sites são o Google, Youtube, Facebook etc.

Unfriended.2014.720p.WEB-DL.600MB.MkvCage.mkv_snapshot_00.47.33_[2015.08.01_02.37.11]

Voltando ao enredo, a coisa fica cabulosa quando o tal hacker clama ser a finada Laura e passa a enviar, e postar, fotos e vídeos  comprometedores de cada um no Facebook através dos perfis deles mesmos. Claro que isso gera confusão até perceberem que tudo é obra do tal penetra virtual. Detalhe que a princípio, só o casal, Blair e o Mitch, sabe que se trata supostamente da falecida amiga que, obviamente, os acusa de terem provocado a sua morte. Inicialmente, o joguinho da discórdia funciona, mas, apesar de algumas mortes, começa a ficar chato. A coisa só melhora pra lá da segunda metade do longa, quando a fantasma virtual, que até a luz da casa deles consegue apagar, se revela para todos. Agora, ela decide botar pra foder geral com uma espécie de jogo da verdade onde quem perde morre. O desespero é geral e as atuações exageradas até que rendem boas risadas.

Agora, Amizade Desfeita empolga e pequenos detalhes vão dando um charme todo especial, como quando a Blair mente descaradamente pra o namorado e o espírito bota pra tocar a música “How you lie, lie, lie” (Como você mente, mente, mente) do Connie Conway e ela fica tentando sem sucesso fechar o player de música; ou quando em vários momentos a protagonista escreve, apaga e rescreve as mensagens pra defunta no chat do Facebook, nos dando assim indícios que ela está escondendo algo dos amigos e de nós. As mortes são simples e convincentes dentro da limitação do avatar da webcam dos protagonistas. O clima de suspense sobre a identidade do hacker do além funciona até certo ponto.

Unfriended.2014.720p.WEB-DL.600MB.MkvCage.mkv_snapshot_00.18.05_[2015.08.01_02.35.01]

A persona sádica e sagaz de Laura Barns é uma grata surpresa. Ela tortura sem dó nem piedade cada um, desconstruindo e derrubando todas as máscaras de amizade e lealdade do grupo. Sempre com uma carta na manga, essa a alma sebosa merece o prêmio joinha de ´feladaputagem´ do próprio Capeta, pois se utiliza do mesmo modus operandi, no papel de acusadora e agente do caos. Detalhe esse que, apesar de funcionar, não foi elevado a máxima pelo enredo até o fim, mas talvez eu esteja querendo demais de uma produção mainstream.

Com alguns pontos positivos, o fato é que esse formato cansa e o já mencionado problema do ponto de vista fixo só contribui para isso. No fim das contas, Amizade Desfeita até que é um filme eficiente e cruel, mas infelizmente não segura a onda “precisando” trair o próprio formato para concluir a trama.

Unfriended.2014.720p.WEB-DL.600MB.MkvCage.mkv_snapshot_00.14.59_[2015.08.01_02.25.38]

Nota: Amizade Desfeita custou apenas R$ 1 milhão e faturou cerca de 32 milhões nos EUA e tem sua estreia nos cinemas brasileiros marcada para 12 de Novembro.

Escala de tocância de terror:

Título alternativo: Cybernatural

Direção: Levan Gabriadze
Roteiro: Nelson Greaves 

Elenco: Heather Sossaman, Matthew Bohrer e Courtney Halverson
Origem: EUA e Rússia

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: Doutor Sono (2019)

Publicados

em

Doutor Sono

[Por Osvaldo Neto]

As adaptações das obras de Stephen King, um escritor que goza de imensa popularidade internacional, são quase que um subgênero do horror no cinema e TV. Desde que Brian De Palma fez CARRIE – A ESTRANHA que filmes e séries baseados e/ou inspirados pelo autor são produzidos em escala massiva e geram bastante expectativa para quem acompanha o gênero. Chegando às salas comerciais pouco após IT – CAPÍTULO 2, DOUTOR SONO é a segunda grande produção da Warner Bros com a grife S. K. lançada em 2019 com estreia nacional nesta semana.

(mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: A Torre Negra (2017)

Publicados

em

A Torre Negra

[Por Felipe Macedo]

Stephen King é um dos dos autores mais adaptados do cinema e em meio a tantos filmes, a maioria é de qualidade duvidosa. Poucos são os que merecem ser dignos de menção. O novo longa baseado em sua obra é inspirado na série de livros A Torre Negra e que de acordo com o próprio King bebe da fonte de Tolkien na construção do universo e criaturas fantásticas. (mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Trending