conecte-se conosco

Resenhas

RESENHA: Ash vs Evil Dead (1ª Temporada)

Publicados

em

Ash-aved-5

Ash é um dos personagens mais carismáticos do cinema de horror e que, apesar de não ter alçado Bruce Campbell ao estrelato, transformou o ator em um ícone do gênero. Evil Dead também é um clássico absoluto, tanto que, em 2013, ganhou um remake mais pomposo que a bagaceira original. Mas era outro elenco e outra vibe. Faltava Ash.

Ano passado, os fãs saudosos tiveram sua espera recompensada. Ash vs Evil Dead, produzida pelo próprio Sam Raimi para o canal Starz, trouxe toda a mitologia dos primeiros filmes de volta. Temos aqui o Ash preguiçoso, cafajeste e fanfarrão, cuja personalidade foi bem mais resolvida em Army Of Darkness (já que nos dois longas anteriores da franquia The Evil Dead, suas atuações eram quase monossilábicas).

vlcsnap-2015-11-09-17h02m01s426

A série começa 30 anos após os incidentes da cabana e Ash ainda mantém o Necronomicon em seu poder. Da forma mais desleixada possível, ele lê uma passagem do livro e desperta toda aquela legião de demônios que voltam agora em maior número e sedentos de vingança. Mas como estender essa história em 10 episódios, mesmo que cada um só tenha, em média, 25 minutos? Fácil, dando aos fãs o que eles querem: gore. A quantidade de sangue, decapitações e desmembramentos em Ash vs Evil Dead deve ter batido o recorde da televisão mundial. Cada episódio é um deleite para os apreciadores do gênero.

Sobre a atuação de Campbell não temos do que reclamar. É o mesmo Ash de sempre, como se o ator nunca tivesse saído do personagem e esperado apenas a hora certa para voltar. Mas como nem tudo são flores, a série não conseguiu emplacar nenhum coadjuvante interessante. Pablo (Ray Santiago) e Kelly (Dana DeLorenzo), colegas de trabalho, e depois parceiros na luta contra o mal, não desenvolveram personalidades próprias e ficaram sempre em segundo plano. A tão aguardada participação de Lucy Lawless (a eterna princesa guerreira Xena) também deixou a desejar.

Ash-tumblr_inline_nv92nriM8j1tbsl8q_1280

Porém, o objetivo de trazer de volta toda a áurea dos filmes originais foi alcançado. Além do Ash atrapalhado, sua doze e sua motosserra, temos os movimentos de câmera, os litros de sangue e até os efeitos toscos, mesmo que construídos com o mais moderno CGI. Aqui no Brasil, Ash vs Evil Dead está nas mãos da FOX e mais recentemente com a Netflix.

Escala de tocância de terror:

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resenhas

RESENHA: Operação Overlord (2018)

Publicados

em

Overlord

[Por Jarmeson de Lima]

Convenhamos que filmes de guerra e filmes de terror não são lá muito populares. Às vezes um ou outro fura a bolha de público e passam a ter sucesso, mas não é sempre que isso acontece. Assim sendo, imagine que “Operação Overlord” foi pensado para ser uma mistura de “O Resgate do Soldado Ryan” com “Resident Evil“. (mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: Verão de 84 (2018)

Publicados

em

Verão de 84

[Por Felipe Macêdo]

A nostalgia causada pelos anos 80 parece não ter fim e provavelmente vai render mais um bocado, dado o sucesso da série “Stranger Things” e filmes como “IT- A Coisa” (2017). “Verão de 84” bebe desse revival estético daquela década e procura sua identidade nesse meio, trazendo uma trama de mistério com elementos de terror. (mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: O Homem nas Trevas (2016)

Publicados

em

homemnastrevas_3

[Por Felipe Macedo e Jarmeson de Lima]

O diretor Fede Alvarez, retorna com seu novo trabalho, após ser descoberto pelo diretor Sam Raimi e juntos terem realizado o remake do clássico “Evil Dead – A Morte do Demônio“. O novo trabalho em questão é “O Homem nas Trevas” (Don’t Breathe), mais uma vez produzido pelo seu tutor hollywoodiano. O longa vem como desafio e servirá para provar se o diretor uruguaio seria realizador de um filme só ou se terá vida própria dentro da sétima arte. (mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Trending