conecte-se conosco

Resenhas

RESENHA: Ouija: Origem do Mal (2016)

Publicados

em

Ouija: Origem

[Por Felipe Macêdo]

Recentemente tivemos um “boom” de filmes que abordam os temas sobrenaturais e entre mais conhecidos temos Atividade Paranormal e Invocação do Mal entre outros. A série Ouija se encaixa bem nesse nicho e tendo como uma das produtoras a famigerada Blumhouse.

Ouija: Origem

O filme original realizado em 2014 foi massacrado pela crítica, mas rendeu expressivos números de bilheteria e logo uma segunda parte foi anunciada, dois anos depois. A sequência sai com o subtítulo “Origem do Mal”, evidenciando que o novo filme na verdade é um “prequel” aos acontecimentos do longa anterior. Para ser bem sincero, são poucas coisas que ligam os dois filmes e ambos funcionam melhor de forma independente.

Ouija: Origem do Mal (Ouija: Origin of Evil, 2016) acompanha a vida de uma família tipicamente suburbana dos anos 60 composta por uma mãe e suas duas filhas, que sofreu um baque com a morte prematura do patriarca. Tentando sobreviver, a mãe ganha a vida como uma médium charlatã que, com a ajuda das filhas, dá conforto, mesmo que falso, às pessoas que as procuram. A vida delas muda para pior, quando compram a famigerada tábua Ouija e se veem ameaçadas por espíritos reais e nada bonzinhos.

Ouija: Origem

O longa é dirigido e co-escrito por Mike Flanagan, figurinha conhecida entre os fãs de terror e responsável por filmes como: Rush – A Morte Ouve, Sono da Morte e O Espelho. A impressão que fica é que a “escola James Wan” foi a escolhida pelo diretor. O filme é bem competente em mostrar e desenvolver suas protagonistas de forma convincente, mesclando drama e terror de forma quase satisfatória. A primeira e melhor parte do filme trabalha muito bem o medo do escuro, sem apelar para jumpscares e aparições gratuitas.

Já a segunda metade parece se render ao cinemão de excessos, onde tudo é motivo para mostrar a assombração principal, mesmo que narrativamente não faça sentido algum. A impressão que fica é que o estúdio queria mais o monstro em cena, a fim de agradar os adolescentes que lotam as salas de cinema.

Ouija: Origem

Mesmo sendo bastante irregular, Ouija tem bons e até ousados momentos. O clímax em seu contexto se difere do cinema pipoca, mas é atrapalhado mais uma vez pelo exagero, causando risos involuntários. E a última cena é simplesmente dispensável. Existem também homenagens a clássicos como Poltergeist e O Exorcista. Uma pena não manter a qualidade deles. Ainda sim, é bem superior ao primeiro filme e pode agradar a quem não exija muito.

Direção: Mike Flanagan
Roteiro: Mike Flanagan e Jeff Howard
Elenco: Elizabeth Reaser, Lulu Wilson e Annalise Basso
Origem: EUA

Escala de tocância de terror:

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Flavia Lina

    17 de julho de 2018 a 18:46

    Adoro muito os filmes do terror, sempre tem boas histórias. Meu preferido é o papel que realizo Bill Skarsgard em a It é uma das suas melhores atuações, a forma em que vão metendo os personagens e contando suas historias é única. It a coisa é um dos melhores de terror, tem uma ótima adaptação do livro, atuações maravilhosas e efeitos especiais que dão medo, algo que eu amei foi como eles redesenharam Pennywise.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Resenhas

RESENHA: Contato Visceral (2019)

Publicados

em

Contato Visceral

Sinceramente, alguns títulos traduzidos da Netflix atrapalham mais do que ajudam na hora de decidir o que ver. Se não fosse alguns colegas falarem bem de “Wounds“, eu jamais chegaria perto de assistir o filme que está no catálogo de streaming com o nome de “Contato Visceral“.

Dirigido por Babak Anvari, o mesmo autor de “À Sombra do Medo” (Under The Shadow), esta produção com selo Netflix vai fisgar a atenção de quem curte um horror sobrenatural perturbador.

(mais…)

Continue lendo

Resenhas

SÉRIE: Marianne (2019)

Publicados

em

marianne
[Por Felipe Macedo]
Histórias de bruxas sempre fascinaram o público. Sejam elas voltadas pra algo mais assustador ou infantil, essas personagens sempre causaram certo impacto. A lenda da bruxa má povoa nossa imaginação desde a infância em histórias como “João e Maria” e depois na vida adulta em filmes como “Suspiria”. A Netflix sabendo do interesse sobre o tema e na falta de produções atuais sobre o assunto, trouxe recentemente para seu catálogo a série francesa “Marianne” prometendo noites insones para o público. (mais…)

Continue lendo

Resenhas

SÉRIE: O Mundo Sombrio de Sabrina (2018)

Publicados

em

O Mundo Sombrio de Sabrina

[Por Jarmeson de Lima]

Ocultismo, bruxaria e paganismo em uma série para um público adolescente tem mais conteúdo macabro do que muito seriado com renome por aí. “O Mundo Sombrio de Sabrina” (Chilling Adventures of Sabrina) tem se revelado muito mais do que uma releitura da série de TV dos anos 90 que apresentava uma simpática feiticeira ajudando seus amigos com truques de mágica. (mais…)

Continue lendo

Trending