conecte-se conosco

Dicas

DICA DA SEMANA: Enigma do Horizonte (1997)

Publicados

em

Enigma do Horizonte

[Por Júlio Carvalho]

Em clima de carnaval, a dica da vez é uma folia só no espaço sideral: O ENIGMA DO HORIZONTE (The Event Horizon, 1997). Esta obra cult sci-fi/horror de Paul W.S. Anderson (Mortal Kombat, Alien Vs Predador e Resident Evil) está disponível no catálogo do PrimeVideo da Amazon.

A grosso modo, a premissa é aquela de sempre já manjada. Uma equipe é enviada para investigar o misterioso reaparecimento de uma nave chamada Event Horizon que estava desaparecida há sete anos. Chegando lá, é só desgraça atrás de desgraça.

O elenco conta com uma galera conhecida (até pra essa geração) tipo Laurence Fishburne (Matrix), Sam Neil (À Beira da Loucura) e até Jason Isaac (o controverso Cap.Lorca de Star Trek Discovery). O roteiro chega a ser ousado ao misturar conceitos de hard science com um horror no estilo Lovecraft. Sem contar a violência gráfica que aqui rende cenas cabulosas. Nessa mescla, é fácil encontrar elementos que remetem a clássicos de ambos os gêneros como 2001, Solaris, Alien e até Hellraiser.

Apesar do incrível fracasso nas bilheterias, ENIGMA DO HORIZONTE é um bom filme. Embora ainda muito injustiçado pelos fãs de ambos os gêneros, o longa vem sendo redescoberto e ganhando o posto que merece. Se você nunca viu e curte um terror cósmico lovecraftiano com muito gore, vai nessa que vale a pena.

Título original: Event Horizon
Direção: Paul W.S. Anderson
Roteiro: Philip Eisner
Ano: 1997
Origem: Reino Unido/EUA

Continue lendo
2 Comentários

2 Comments

  1. Pingback: DICAS: Alternativas à Netflix | Toca o Terror

  2. Pingback: RESENHA: Nightflyers (2019) | Toca o Terror

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

RESENHA: Scare Campaign (2016)

Publicados

em

Scare Campaign

[Por Jarmeson de Lima]

Apesar do catálogo restrito, uma das melhores coisas da Netflix é poder encontrar produções independentes de horror que circularam muito pouco por aí. Um destes bons exemplos é o australiano “Scare Campaign” que foi exibido apenas em festivais de gênero e que agora todos podem assistir na versão nacional da plataforma de streaming. (mais…)

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Superstição (1982)

Publicados

em

Superstição

[Por Jota Bosco]

No programa sobre bruxas que gravamos recentemente para a Rádio Frei Caneca FM – 101.5, lembrei desse filme que mesmo seguindo a cartilha dos “slashers“, que foram a coqueluche da época (e não é lá dos meus subgêneros favoritos), me marcou tanto que devo ter alugado o VHS na locadora uma penca de vezes para rever com os amigos. (mais…)

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Piquenique na Montanha Misteriosa (1975)

Publicados

em

Piquenique na Montanha Misteriosa

Ah, a Austrália…. Nunca fui, mas gosto de muitos longas que se passam lá: Mad Max, O Corte da Navalha, Pelos Caminhos do Inferno, Wolf Creek, Morte Súbita. Porém, o filme que indicarei hoje não tem 0,1% da violência desses que eu falei, mas não deixa de ser um belo exemplar do cinema de horror da terra dos cangurus.

Piquenique na Montanha Misteriosa (Picnic at Hanging Rock, 1975) é um dos primeiros trabalhos do diretor Peter Weir em sua terra natal. Depois ele partiu para os EUA, onde dirigiu grandes produções como O Show de Truman, A Testemunha e Sociedade dos Poetas Mortos e colecionou indicações ao Oscar.

O roteiro de Cliff Green, baseado no livro de Joan Lindsay, conta a história de um grupo de jovens estudantes de um colégio para moças que, em 14 de fevereiro de 1900, partiram para uma excursão a Hanging Rock, um conjunto de montanhas que tinha a má fama de ser um local onde coisas esquisitas acontecem. E, claro, acontecem no filme também. Três meninas e uma professora somem durante o passeio.

A partir daí, um clima de histeria coletiva toma conta da cidade e do colégio. Mas, como citado acima, não veremos um pingo de sangue nos momentos de tensão. O filme de Peter Weir tem uma forte pegada de conto de fadas e faz muitas referências a sonhos. Além disso, o diretor explora com perfeição a paisagem inóspita da Austrália, que era praticamente intocada, no início do século passado.

Não precisa dizer que Piquenique na Montanha Misteriosa é o que se costuma chamar de “lento”, mas se você curte fugir um pouco do banho de sangue e entrar de cabeça em produções mais “viajadas”, a dica está dada. Tem no YouTube, mas sem legendas.

Continue lendo

Trending