conecte-se conosco

Resenhas

RESENHA: Megatubarão (2018)

Publicados

em

[Por Jarmeson de Lima]

Cerca de 40 anos após a primeira febre de filmes com tubarões, estamos vendo novamente filmes que colocam esta fera marítima como protagonista. E em meio a produções modestas e outras que apelam para o escracho por seu baixo orçamento, “Megatubarão” chega para chamar a atenção com um mega orçamento e uma campanha de marketing tão grande quanto o bicho que aparece na tela. Quando você ouve pessoas aleatórias falando na rua sobre o “novo filme de tubarão”, é certeza que pelo menos esta parte fizeram bem.

O filme vem para apresentar este peixe assassino com uma abordagem mais séria e com poucas falhas de roteiro. Mas ao contrário do que o primeiro trailer sugeria, “Megatubarão” não é engraçadinho ou zoeiro. A expressão sempre sisuda e carrancuda de Jason Statham não deixa espaço para piadinhas. Quando elas aparecem, é para quebrar o gelo mas nem sempre funcionam.

Mesclando drama, ficção científica e ação, o filme transcorre em águas internacionais próximo à costa da China. Eis um motivo pelo qual temos também um elenco diversificado e multi étnico que interage bem sem que pareçam forçados. É numa plataforma oceânica que se transformou em uma super hi-tech estação marítima que pesquisadores vão atrás do que seria o ponto mais profundo do oceano.

Após encontrarem um nível sub-abissal a 12 km mar adentro, a equipe descobre um ecossistema deslumbrante que fica bonito de ver na tela do cinema, mas que esconde uma gigantesca ameaça. Sim, a esta altura já devem imaginar que é onde vive o tal megatubarão, descendente do Megalodon, criatura pré-histórica que é maior do que a maior das baleias de nossa era.

E como as coisas não saem conforme o esperado, parte da equipe de exploradores fica presa no fundo do mar esperando resgate. O escolhido para esta missão é ninguém menos que o relutante Jonas Taylor (Statham) que alguns anos antes já havia participado de uma missão turbulenta e complexa, deixando traumas em nosso heroi. Nestas quase duas horas de filme, temos tempo suficiente para ver o protagonista brucutu tentar salvar vidas, mudar de ideia, salvar mais gente e depois buscar uma forma de matar o tubarão implacável.

Não há, no entanto, cenas muitos memoráveis de ação ou sustos em “Megatubarão“. A direção de Jon Turteltaub (“A Lenda do Tesouro Perdido”) é corretinha demais, com cenas econômicas de sangue e mortes mas ao menos faz com que o espectador se sinta encorajado para ver como tudo vai se desenrolar. Após o final dos créditos, no entanto, você fica com a impressão de ter visto SÓ mais um filme de tubarão que assusta mais pelo tamanho do que pela sua voracidade.

https://www.youtube.com/watch?v=l1xTSXp6LWI

Escala de tocância de terror:

Título original: The Meg
Diretor: Jon Turteltaub
Roteiro: Dean Georgaris e Jon Hoeber
Elenco: Jason Statham, Bingbing Li e Rainn Wilson
Ano de produção: 2018

* Filme visto na cabine de imprensa promovida pela Espaço Z no Recife

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Resenhas

SÉRIE: Reality Z (2020)

Publicados

em

Reality Z

Apesar do enorme sucesso que fez a última edição do Big Brother, a impressão é que Reality Z, produção brasileira da Netflix que parodia o programa, chegou atrasada. Principalmente pelo fato de ela ser remake de uma minisérie inglesa de 2008: Dead Set. Naquela época, os zumbis estavam na crista da onda, mas hoje em dia, até sucessos como The Walking Dead lutam para se manter de pé.

Em Reality Z, temos uma atração de TV no mesmo formato do BBB que toma conta da vida dos brasileiros, sobretudo nas redes sociais. Enquanto o povo se diverte com as confusões que culminam nas eliminações dos participantes, o apocalipse zumbi explode no Rio de Janeiro. Não demora para que os mortos vivos cheguem ao estúdio e virem uma ameaça para os confinados.

O roteiro alterna entre duas tramas, uma fora e outra dentro das dependências do programa para que em um determinado momento todos os personagens se encontrem no ambiente de confinamento. Curiosamente, cada uma tem um tom diferente. Na emissora, o clima é de comédia, brincando com os clichês do Big Brother, como brigas entre os confinados, e criticando os executivos e TV que buscam audiência a qualquer custo.

Do lado fora, o drama toma conta. Enquanto fogem dos zumbis, mãe e filho se encontram com políticos e policiais corruptos, em meio a um Rio de Janeiro destruído. Mesmo com personagens caricatos demais, é interessante ver alguns debates atuais no Brasil inseridos em um contexto apocalíptico, já que vemos sempre isso em produções estrangeiras.

Na parte técnica, Reality Z faz o ‘feijão com arroz’ suficiente para dar consistência aos seus mortos vivos corredores. Mesmo com uma escorregada aqui e ali, as atuações são satisfatórias e o roteiro flui. Mas, como foi dito anteriormente, a série parece deslocada no tempo, depois de tanta coisa já feita no gênero.

Será que um fã de horror, que já viu e reviu a obra de George A. Romero, ainda aguenta assistir a mais um ‘fim do mundo’? Provavelmente não. Mas se a bagagem cultural do espectador não for tanta e se ele tiver boa vontade sobrando para dar chance a uma produção nacional, Reality Z é totalmente feita para esse público. E dá pro gasto.

Escala de tocância de terror:

Direção: Cláudio Torres e Rodrigo Monte
Roteiro: Cláudio Torres e Rodrigo Monte
Elenco: Sabrina Sato, Ana Hartmann, Ravel Andrade e Luellem de Castro
Origem: Brasil

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: Doutor Sono (2019)

Publicados

em

Doutor Sono

[Por Osvaldo Neto]

As adaptações das obras de Stephen King, um escritor que goza de imensa popularidade internacional, são quase que um subgênero do horror no cinema e TV. Desde que Brian De Palma fez CARRIE – A ESTRANHA que filmes e séries baseados e/ou inspirados pelo autor são produzidos em escala massiva e geram bastante expectativa para quem acompanha o gênero. Chegando às salas comerciais pouco após IT – CAPÍTULO 2, DOUTOR SONO é a segunda grande produção da Warner Bros com a grife S. K. lançada em 2019 com estreia nacional nesta semana.

(mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Resenhas

RESENHA: A Torre Negra (2017)

Publicados

em

A Torre Negra

[Por Felipe Macedo]

Stephen King é um dos dos autores mais adaptados do cinema e em meio a tantos filmes, a maioria é de qualidade duvidosa. Poucos são os que merecem ser dignos de menção. O novo longa baseado em sua obra é inspirado na série de livros A Torre Negra e que de acordo com o próprio King bebe da fonte de Tolkien na construção do universo e criaturas fantásticas. (mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay ou em nossa campanha no APOIA.se!

Continue lendo

Trending