conecte-se conosco

Dicas

DICA DA SEMANA: Ligação Perdida (2003)

Publicados

em

Ligação Perdida

[Por Gabriela Alcântara]

Conhecido por fazer filmes mais realistas, Takashi Miike aventura-se com sucesso pelo lado comercial no seu Ligação Perdida (Chakushin Ari, 2003). Aqui conhecemos a jovem Yumi, cujos amigos estão morrendo após receberem bizarras ligações de seus próprios celulares, que acabam por deixar recados de voz que prevêem suas mortes. Enquanto seus amigos vão morrendo um após o outro, Yumi e o detetive Hiroshi – cuja irmã morreu também nessas circunstâncias – tentam desvendar o mistério.

Contemporâneo aos grandes sucessos do cinema de terror asiático, como Ringu e Ju-On, o brilho de Ligação Perdida está justamente na bela direção de Miike. E assim como os já citados, ele também ganhou um remake hollywoodiano anos depois.

Aqui temos enquadramentos e ângulos interessantíssimos, especialmente quando se trata da colocação em cena do fantasma que está causando toda a confusão. Ao invés de pecar pelo excesso de mostrar a fantasma o tempo inteiro, o filme constrói sua aparição aos poucos, causando curiosidade e tensão crescentes. Paralelo a isso, a explicação da história que envolve a maldição também é entregue com calma ao espectador, seguindo o ritmo de uma investigação que culmina no final que, apesar de não ser 100% surpreendente para os fãs do gênero, não deixa de ser bem construído e fazer jus ao restante do filme.

Se como eu você também se diverte com os exageros que muitos dos filmes de assombrações propõem, Ligação Perdida traz também algumas risadas. Isso acontece especialmente quando o filme tenta explicar como essas chamadas são feitas, o que inclui takes de braços decapitados discando para alguém ou teclas de celular que são apertadas por uma força sobrenatural.

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Pingback: O GRITO (2020) | Blog Vá e Veja, por Osvaldo Neto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

DICA DA SEMANA: Eu Enterro os Vivos (1958)

Publicados

em

Eu Enterro os Vivos

[Por Osvaldo Neto]

Robert Kraft (Richard Boone), um homem bem sucedido, recebe a tarefa de cuidar do cemitério da cidade, que é administrado pela sua família, também dona de uma grande loja local de departamentos. Enquanto não arranja um substituto, ele recebe a assistência de Andy McKee (Theodore Bikel, roubando cenas), um antigo funcionário que trabalha no local há 40 anos e irá se aposentar. É quando Robert se depara com um enorme mapa no escritório que contém todos as sepulturas, as ocupadas (marcadas por alfinetes pretos) e desocupadas (marcadas por alfinetes brancos). (mais…)

Continue lendo

Dicas

LISTA: Filmes que parecem Black Mirror

Publicados

em

Lista Black Mirror

[Por Jarmeson de Lima]

Recentemente acabei encarando uma série de filmes que pareciam extraídos do cultuado seriado britânico “Black Mirror“. Pra quem já viu, sabe que a tônica é ver histórias em um futuro distópico com situações onde a humanidade e a sensibilidade humana é posta em xeque com um tom pessimista. (mais…)

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Amityville II – A Possessão (1982)

Publicados

em

Amityville II - A Possessão

[Por Jarmeson de Lima]

O atento leitor desta seção de dicas vai notar que poucas vezes recomendamos continuações. Quando isso acontece é com obras que saem da previsível curva em que algumas franquias se incluem, dando mais do que se espera. E por isso mesmo acabam sendo odiadas pelos mais puristas e amadas pelos demais. (mais…)

Continue lendo

Trending