conecte-se conosco

Dicas

DICA DA SEMANA: Terror em Silent Hill (2006)

Publicados

em

Silent Hill

[Por Júlio Carvalho]

A dica pra o fim de semana é essa adaptação de 2006 para o cinema de “Silent Hill“, famosa franquia de games do fim dos anos 90 de survivor horror da Konami, e que está no catálogo da Netflix Brasil.

Na trama, a grosso modo pra não estragar pra quem nunca viu ou jogou os games, acompanhamos Rose em busca de sua filha Sharon que está desaparecida numa cidade abandonada e tomada por cinzas chamada Silent Hill. Na época, essa adaptação decepcionou alguns fãs dos jogos, ao mesmo tempo que foi admirada por fãs de horror.

Tecnicamente, “Terror em Silent Hill” é impecável. Tem um visual lindo que constantemente muda de acordo com a situação. Na trilha, assim como nos jogos, temos composições do talentosíssimo Akira Yamaoaka interpretadas pela Mary Elizabeth McGlynn, que também as canta nos jogos. Também vale destacar os efeitos sonoros cabulosíssimos que servem ao clima o tempo inteiro. E claro que temos os monstros icônicos como o Pyramid Head, as enfermeiras sem rosto e outras criaturas medonhas desse universo tenebroso, que, inclusive, algumas dessas são vividas por Doug Jones (O Labirinto do Fauno).

O elenco tem figuras familiares como Sean Bean (Senhor dos Anéis) e a irreconhecível Deborah Kara Unger (“Crash” de Cronenberg), mas quem segura a onda mesmo é Radha Mitchell que vive visceralmente Rose, nos entregando uma destemida Mãe que vai até o inferno se precisar pra salvar sua filha Sharon, que por sua vez é interpretada por Jodelle Ferland (Kingdom Hospital).

A questão é que “Terror em Silent Hill” sempre divide opiniões, principalmente quando se parte para o inevitável comparativo ao jogo. Mas como filme de horror, funciona muito bem. E apesar de ser uma super produção, sempre ficou, injustamente, em segundo plano nas rodas de conversa sobre o gênero. De qualquer forma, fica a dica aí pra quem viu e pra aqueles que curtiram, fazer aquela revisada em full HD.

Nota: Teve uma continuação em 2012 chamada Silent Hill: Revelation que deve ser evitada, pois é ruim que dói.

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Augusto

    12 de agosto de 2017 a 07:51

    Na minha opinião, a melhor adaptação de um game para as telas… aliás…a única que presto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

DICA DA SEMANA: O Soro do Mal (1988)

Publicados

em

O Soro do Mal

Nem é preciso elocubrar muito para dizer que “O Soro do Mal” (Brain Damage) é um daqueles filmes que tem a cara do terror dos anos 80 e que caberia perfeitamente na programação de um Cine Trash. Para os nostálgicos que assistiram antes, revê-lo hoje em dia é um deleite e tanto. Para quem nunca viu… coloque o cinto de segurança. (mais…)

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: O Portão (1987)

Publicados

em

O Portão

A coluna “Dica da Semana” do Toca o Terror está sempre recomendando algum filme marcante dos bons tempos em que o terror tinha alguma importância na TV aberta. Hoje não será diferente.  (mais…)

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Superstição (1982)

Publicados

em

Superstição

[Por Jota Bosco]

No programa sobre bruxas que gravamos recentemente para a Rádio Frei Caneca FM – 101.5, lembrei desse filme que mesmo seguindo a cartilha dos “slashers“, que foram a coqueluche da época (e não é lá dos meus subgêneros favoritos), me marcou tanto que devo ter alugado o VHS na locadora uma penca de vezes para rever com os amigos. (mais…)

Continue lendo

Trending