conecte-se conosco

Galeria

DVD: A Menina do Outro Lado da Rua (1976)

Publicados

em


[Por Osvaldo Neto]

A jovem Jodie Foster teve um grande ano em 1976. Além de trabalhar com Martin Scorsese em TAXI DRIVER, ela viria a ter papéis de destaque no musical QUANDO AS METRALHADORAS COSPEM, de Alan Parker, no pouco conhecido drama ECOS DE UM VERÃO (filmado 2 anos antes), de Don Taylor e no longa que comentaremos hoje. A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA chega pela 1a. vez no Brasil em DVD com um excelente tratamento pela distribuidora Obras-Primas do Cinema.

No filme, baseado no livro de Laird Koenig com roteiro do próprio autor, Rynn Jacobs (Foster) é uma adolescente que vive em uma casa que foi alugada por ela e seu pai, um poeta, em uma pequena cidade de Quebec, no Canadá. O porém é que algumas pessoas da área – entre elas, a senhoria e seu filho pedófilo (Alexis Smith e Martin Sheen), um policial (Mort Shuman) e seu sobrinho (Scott Jacoby) – nunca observam a garota na companhia do pai que, segundo ela, está sempre trabalhando e não deseja ser importunado. Ao longo da narrativa, todos passam a desconfiar que ela tem algo de anormal a esconder. Segredo esse que nós, espectadores, também iremos saber.


Essa produção franco-canadense dirigida por Nicolas Gessner hoje realmente é muito mais conhecida do que assistida graças à presença de Foster no elenco. Rynn é uma personagem que não seria nada convincente se tivéssemos uma atuação menor que a de Foster aqui, encarando um papel difícil. Sem falar que ela está presente no longa inteiro, com os outros poucos personagens importantes possuindo um tempo limitado de participação.

Nicolas Gessner mostra a que veio em poucos minutos logo no início do filme, quando Frank Hallet (Sheen) faz uma visita na casa de Rynn em plena noite de Halloween. Ver aquela garota indefesa enquanto Hallet constantemente sugere que um dia irá tê-la na cama é um exercício de tensão que beira o insuportável.

Esse repulsivo personagem foi muitíssimo bem atuado por Sheen, que é sempre uma presença incômoda nas poucas e certeiras cenas em que aparece. A veterana Alexis Smith, estrela de Hollywood durante os anos 40 e 50, deixa uma grande marca em seus únicos dois momentos no filme como Cora Hallet, a mãe de Frank, outra pessoa igualmente desprezível.

Mario (Scott Jacoby)

O policial Ron Miglioriti (Mort Shuman)

O trabalho de Gessner com o inteligente roteiro de Koenig é uma verdadeira aula de economia e segurança narrativa, em como ser objetivo se utilizando do subjetivo. Sua direção sempre cria tensão e suspense a partir das atuações, diálogos e o uso da câmera em um filme que se passa quase que inteiramente em uma única locação.

A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA continua a ser tão surpreendente quanto na época de seu lançamento, quando ele foi vendido como um simples filminho de terror pela AIP (de Sam Arkoff e James H. Nicholson, estúdio e distribuidora que financiou as obras-primas de Roger Corman). O que temos aqui, na verdade, é um filme corajoso ao lidar com temas bem espinhosos e que, com certeza, não seria feito hoje.

Mas, ao mesmo tempo, ele também nunca cai no horror grotesco, nas cenas brutais de violência, no terreno do ‘exploitation’ por ser classudo demais para isso. O resultado é um longa inclassificável, que não se prende a um só gênero (alô, galerinha do “pós-horror”) e corre vários riscos. Sendo assim, também é difícil de acreditar que A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA tenha sido feito nesse período em particular do cinema de gênero internacional.

A Edição Especial de Colecionador da Obras-Primas do Cinema para A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA apresenta o filme em excelente cópia, de uma recente restauração. De extras, uma entrevista de quase meia hora com o ator Martin Sheen, claramente feliz de estar sendo entrevistado sobre o longa; uma pequena e amável conversa via Skype de Sheen com o diretor Nicolas Gessner e o trailer de cinema. Como um brinde, temos um card do pôster de cinema e outra arte de divulgação impressa no verso da capinha. Uma valiosa aquisição.

Todas as imagens do filme utilizadas nessa resenha são de capturas do DVD, que pode ser facilmente encontrado para compra nas melhores lojas físicas e virtuais.

Dica extra:
Antes de A MENINA DO OUTRO LADO DA RUA, Nicolas Gessner fez outro intrigante filme com poucos atores e uma casa de locação principal. Trata-se de ALGUÉM ATRÁS DA PORTA (1971), estrelado por Charles Bronson, Anthony Perkins e Jill Ireland. Merece muito ser redescoberto.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Galeria

LISTA: Filmes que se passam no Halloween mas que não são da franquia Halloween

Publicados

em

Saindo um pouco do convencional com uma lista de cinco filmes recentes de terror que se passam em dias como este



“Festa Assassina” (Murder Party)
Em uma clássica comédia de terror, onde a pessoa errada vai pro lugar errado na hora errada, encontramos Chris, um típico sujeito qualquer que se depara com um convite de uma festa de Halloween na rua e resolve encarar a diversão. Chegando lá no local, descobre da pior maneira que a festa é apenas para os caras que querem se divertir com sua presença em um tipo de performance doentia. Rápido e divertido, o filme dosa bem a violência e o humor em um roteiro inusitado.
(mais…)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Galeria

LISTA: 10 filmes sobre pessoas isoladas ou em confinamento forçado

Publicados

em

filmes sobre pessoas isoladas

A situação atual não encontra paralelo na história da humanidade. As pandemias de séculos anteriores não chegaram a alcançar um nível assim tão intenso em escala global para afetar simultaneamente o convívio social, as atividades econômicas e o deslocamento humano. É como se estivessemos vivendo em um episódio de Além da Imaginação ou na pele de alguns dos personagens dos filmes listados abaixo.

Considerando o momento e aproveitando a oferta de canais de streaming para filmes por aí, recomendamos dez obras mais ou menos recentes que apresentam situações de confinamento forçado e pessoas isoladas involuntariamente. Note que a lista apresenta filmes que já foram resenhados aqui no Toca o Terror e eventualmente alguns deles podem ter saído do catálogo das plataformas temporariamente.



Ao Cair da Noite (It Comes at Night)

As cenas se sucedem e você vai juntando as peças para entender que os personagens estão em um mundo assolado por uma ameaça biológica que deixa feridas fatais em suas vítimas. No fim das contas, este mundo se resume a uma floresta e uma casa ali no meio com uma família armada contra os possíveis perigos externos. [ Leia + ]
* Disponível na Netflix



Mortos que Matam (The Last Man on Earth)

Uma doença/praga transformou os humanos em uma espécie de vampiros. Eles dormem durante o dia e saem para caçar quando anoitece. O cientista Dr. Robert Morgan (Vincent Price), que se mostra imune à infecção, acredita que é “o último homem na Terra” e decide trabalhar incansavelmente para descobrir a cura da moléstia. [ Leia + ]

* Disponível no YouTube e Darkflix



O Nevoeiro (The Mist)

Na trama, acompanhamos um grupo de pessoas refugiadas em um supermercado por conta de um misterioso nevoeiro que toma conta de uma pequena cidade e que esconde estranhas criaturas prontas pra tocar o terror. [ Leia + ]

* Disponível na Amazon Prime Video



Os Parecidos (Los Parecidos)

Um incidente meteorológico acabou atrasando todas as viagens de ônibus e não há mais previsão para as próximas partidas. O problema é que a demora do ônibus em chegar em uma estação no meio do nada não é o único problema. Há um estranho fenômeno acontecendo simultaneamente pelo país e pelo mundo e que logo afetará os personagens que vemos em tela. [ Leia + ]

* Disponível na Netflix



Um Grito na Noite (Kristen)

O pânico de uma mulher sozinha em um local isolado ao longo da noite com um maníaco ao redor. É evidente que você já viu uma história parecida assim em vários filmes de terror. Pelo menos desde “Black Christmas” que vemos assassinos ameaçando mulheres por telefone para testar os seus limites. [ Leia + ]

* Disponível na Amazon Prime Video



O Último Suspiro (Dans La Brume)

Em um dia como outro qualquer, ocorre um súbito terremoto na cidade e uma densa névoa começa a invadir as ruas e sufocar as pessoas. E como a névoa não aparenta se dissipar facilmente, as pessoas tem que se proteger de sua chegada iminente tentando obter máscaras, tubos de oxigênio e prender a respiração para não inalar os gases tóxicos. [Leia +]

* Disponível no Now, Telecine Play e Looke



Rua Cloverfield, 10 (10 Cloverfield Lane)

Ao longo do filme vamos descobrindo pouco a pouco os segredos do estranho homem que mantém a jovem como hóspede e refém ao mesmo tempo. Sempre com tom dúbio mas ameaçador, Howard alerta os seus convidados sobre a ameaça que perambula na Terra desde o dia do acidente e que coincidentemente marca o início dos ataques em massa no planeta. [ Leia + ]

* Disponível no YouTube e Google Play



Pandorum (Pandorum)

À deriva dentro da embarcação futurista Elysium que deveria chegar ao planeta Tanis noutra galáxia, dois astronautas estão tentando descobrir o que fazer, onde estão e o que aconteceu com o restante da tripulação à bordo. E descobrem da pior maneira possível que a Elysium não está tão abandonada assim. [ Leia + ]

* Disponível na Amazon Prime Video



O Farol (The Lighthouse)

A dupla Pattinson/Dafoe é dirigida sob um olhar que parece querer deles, exatamente, a máxima visceralidade do que pode vir a ser aqueles personagens. Ali, duas pessoas isoladas com a força de um farol que sugere trevas e luz, e o peso do que cada um destes carrega em si – do que fizeram ou não em seu passado – a dupla se inflama em cena num filme carregado de mitologias náuticas. [Leia +]

* Disponível no Now, Google Play e Looke



O Exército do Extermínio (The Crazies)

Uma arma biológica produzida pelo exército americano é, acidentalmente, dissipada em uma pequena cidade da Pennsylvania. Quem fica contaminado começa a perder a sanidade e se torna uma ameaça para as outras pessoas. É aí que os militares, fazendo merda atrás de merda, resolvem colocar o lugar em quarentena, começam a combater os infectados e deter quem ainda pode ser salvo. [ Leia + ]

* Disponível no YouTube e Darkflix

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Galeria

LISTA: 7 Filmes de casais apaixonados em histórias de terror

Publicados

em

Casais Apaixonados

Dia dos Namorados chegando e sabe como é… pra não cair na mesmice e indicar aos chegados só aquele bom e velho slasher chamado “Dia dos Namorados Macabro” (My Bloody Valentine) – que é muito bom, por sinal – temos aqui nossa pequena lista de filmes com casais apaixonados em histórias de terror. Alguns deles ficam juntos até que a morte os separe, mas falar qual dos dois sobrevive aí seria dar spoiler.



Primavera (Spring, 2014)


Evan acaba de perder a mãe e em meio ao luto resolve fazer turismo na Itália. Lá, ele encontra uma bela garota, começa um romance e arruma um emprego temporário em uma fazenda para ficar mais perto de sua paixão. Sim, você acaba de ler a sinopse de um romance. Mas “Primavera” também é um filme de terror. E, justiça seja feita, o roteiro conseguiu juntar dois estilos completamente diferentes em uma obra que prende a atenção do espectador o tempo todo.
[Leia +]


Mãe! (Mother!, 2017)


Uma mulher pensa que terá um final de semana tranquilo com o marido em casa. Porém, começam a chegar diversos convidados na residência dos dois. Isso faz com que o casamento deles seja testado das mais variadas maneiras. Dependendo da sua paciência para ver duas horas de um roteiro que flerta com o surreal para depois lhe pegar desprevenido, “Mãe!” pode vir a ser uma surpresa ou uma catástrofe.
[Leia +]


Honeymoon (Honeymoon, 2014)


Paul e Bea são recém casados e decidem passar sua lua de mel na casa de campo da família da noiva. A ação começa a dar as cartas quando Bea sofre um ataque de sonambulismo e é encontrada por Paul, vagando pela mata. O que parecia ser um incidente sem grande importância, começa a preocupar o marido, pois ela começa a demonstrar um comportamento diferente, além de lapsos de memória e feridas.
[Leia +]


O Que Nos Mantêm Vivos (What Keeps You Alive, 2018)


A trama acompanha o casal Jackie e Jules que está comemorando o seu primeiro ano de casamento indo para uma casa de campo. As coisas começam bem, mas alguns segredos e mentiras vêm à tona e o que seria um fim de semana romântico se torna um pesadelo imprevisível.
[Leia +]


Casamento Sangrento (Ready or Not, 2019)


Com cenas agoniantes de verdadeiro gore e outras feitas para alívio cômico, “Casamento Sangrento” se passa basicamente no cenário da mansão Le Domas e seus arredores, onde Grace tenta escapar de seu destino cruel. No ínterim de uma hora e meia, a noiva sofre, corre, rasga seu vestido, pega em armas e se suja toda para sobreviver a esta Lua de Mel.
[Leia +]


Um Longo Fim de Semana (Long Weekend, 1978)


Um casal em crise decide passar o final de semana em uma afastada praia. Em seu retiro, saem causando “incidentes” ecológicos como atropelar um inocente canguru, iniciar um incêndio e sair espalhando lixo por onde passam. Conclusão? Se a Mãe Natureza é vingativa, na Austrália, então, nem se fala!
[Leia +]


Amantes Eternos (Only Lovers Left Alive, 2014)


Adam (Tom Hiddleston) é um vampiro centenário, e também astro do rock, que vive recluso do mundo por conta do tédio que desenvolveu em relação aos humanos, aos quais ele dá a pejorativa alcunha de “zumbis”. Preocupada com a depressão dele, sua amante de longa data Eve (Tilda Swinton) decide encontrá-lo e lhe fazer companhia. Talvez o discurso sobre a mediocridade do mundo atual soe piegas e até mesmo já gasto, mas Jarmusch consegue tornar o filme interessante em vários aspectos.
[Leia +]


Bônus

Tromeo e Julieta (Tromeo and Juliet, 1996)


Em Hollywood alguém sempre começa em algum lugar. É muito provável que seu astro favorito tenha começado numa pequena produção ou estrelado um Filme B. No caso de “Tromeo and Juliet“, o roteirista é ninguém menos que James Gunn, o diretor do mega sucesso “Guardiões da Galáxia“. Nesta produção da Troma, dirigida pelo excêntrico Lloyd Kaufman, Gunn ajuda a reescrever a história de amor de Romeu e Julieta em meio a gangues, brigas, mortes, personagens bizarros e cenas de gore e ultraviolência. Se Baz Luhrmann conseguiu fazer sua releitura de Shakespeare nos anos 90, por que não a Troma, não é mesmo?

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Trending