conecte-se conosco

Eventos

EVENTO: macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo (2020)

Publicados

em

macaBRo CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil promove de 28 de outubro a 23 de novembro a mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo, um passeio sinistro pela produção audiovisual de terror 100% brasileira. Serão exibidas 44 produções entre longas e curtas-metragens da nova geração de diretores e diretoras, assim como de nomes consagrados como José Mojica Marins, o Zé do Caixão. As exibições serão gratuitas e online na plataforma darkflix.com.br/macabro, serviço de streaming do gênero Cinema Fantástico.  

Os filmes ficarão disponíveis 24 horas e com limite de visualizações no caso dos longas, e durante uma semana, para os curtas. Como forma de diminuir os riscos apresentados pela covid-19, toda a programação será online e contará também com debates e palestras, com inscrições via Sympla, além de cursos e lives no Youtube e Instagram da @blgentretenimento, sem necessidade de inscrição prévia. Todas estas informações também podem ser vistas aqui: https://linktr.ee/blgentretenimento.

O projeto é patrocinado pelo Banco do Brasil e tem produção da BLG Entretenimento. Conta com curadoria de Breno Lira Gomes – curador do festival Maranhão na Tela desde 2007 e de diversas mostras, como a recente “Stephen King – O medo é seu melhor companheiro” – e Carlos Primati, idealizador da mostra “Horror no cinema brasileiro”. A dupla selecionou curtas e longas-metragens produzidos nos últimos cinco anos, entre 2015 e 2019, com data de lançamento até 2020, que continham forte experimentação visual, histórias horripilantes e marcantes. 

Morto Não Fala

Entre os longas-metragens, destacam-se produções que lançaram nomes de relevância no cenário do cinema nacional atual, como o premiado “Morto Não Fala”, de Dennison Ramalho, exibido em mais de 40 festivais no mundo e protagonizado por Daniel de Oliveira, Fabíula Nascimento e Bianca Comparato, “O Animal Cordial”, de Gabriela Amaral Almeida, com Luciana Paes, Murilo Benício e Irandhir Santos, “Sem Seu Sangue”, de Alice Furtado, que estreou no Festival de Cannes, e o aguardado “O Cemitério das Almas Perdidas”, de Rodrigo Aragão. Também estão na lista “Quando Eu Era Vivo”, de Marco Dutra, “Terminal Praia Grande”, de Mavi Simão, “O Clube dos Canibais”, de Guto Parente, “A Casa de Cecília”, de Clarissa Appelt, “Condado Macabro”, de André de Campos Mello e Marcos DeBrito, “Mal Nosso”, de Samuel Galli, entre outros.

Já os curtas-metragens vão integrar sessões homenagens com quatro mini retrospectivas de nomes que se destacaram nos últimos anos no gênero. O público poderá conferir os filmes “O hóspede”, “Não tão longe”, “O desejo do morto”, “Cova aberta”, “Mais denso que o sangue” e “Os mortos”, da produtora paraibana especializada em filmes de gênero Vermelho Profundo; “Uma primavera”, “A mão que afaga” e “Estátua”, da cineasta Gabriela Amaral Almeida; “Nocturnu”, “Amor só de mãe” e “Ninjas”, do diretor Dennison Ramalho; além de quatro curtas, sendo um dirigido e um codirigido pelo também homenageado Zé do Caixão: “O saci”, “Coffin Joe’s Heart Of Darkness”, de Marcelo Colaiacovo, Nilson Primitivo e José Mojica Marins, com trechos inéditos, “Tirarei as medidas do seu caixão”, de Diego Camelo, e “A lasanha assassina”, animação com voz de Mojica e direção de Ale McHado. 

“A mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo vem para celebrar esse cinema cheio de coragem e vontade de encontrar o seu público. E principalmente, de narrar uma boa história de terror essencialmente brasileira, com temáticas ligadas à nossa cultura. O cinema brasileiro não é feito apenas de um tipo de filme e essa é uma boa oportunidade de valorizarmos ainda mais a recente produção do gênero no país. A mostra é fruto de uma produção atual e pulsante, que reúne uma nova geração de diretores e diretoras, que estão vendo a chance de experimentar dentro da linguagem cinematográfica, lado a lado com nomes já consagrados como o grande mestre José Mojica Marins, o eterno Zé do Caixão”, explica o curador Breno Lira Gomes. 

 MOSTRA MACABRO – HORROR BRASILEIRO CONTEMPORÂNEO  
PROGRAMAÇÃO

28 de outubro, quarta-feira
18h – O Hóspede (curta-metragem), de Anacã Agra e Ramon Porto Mota
19h – Live com a crítica de cinema Beatriz Saldanha e os diretores Ramon Porto Mota e Ian Abé, da produtora homenageada Vermelho Profundo
20h – A Noite Amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Ramon Porto Mota

29 de outubro, quinta-feira
16h – Cova Aberta (curta-metragem), de Ian Abé
18h – O Nó do Diabo – Episódio 1, de Ramon Porto Mota
20h – Canto dos Ossos, de Jorge Polo e Petrus de Bairros

30 de outubro, sexta-feira
18h – O Nó do Diabo – Episódio 2, de Gabriel Martins
19h – Live com a pesquisadora Yasmine Evaristo e a produtora Mariah Benaglia e o diretor Jhésus Tribuzi, da produtora homenageada Vermelho Profundo
20h – Os Mortos (curta-metragem), de Jhésus Tribuzi

31 de outubro, sábado
15h – O Nó do Diabo – Episódio 3, de Ian Abé
16h – Curso “Trajetória do horror no cinema brasileiro” com o curador Carlos Primati – Módulo 1: Os primórdios do horror brasileiro (melodramas góticos, comédias de fantasmas e filmes de selva)
18h – O Desejo do Morto (curta-metragem), de Ramon Porto Mota
19h – Debate “O terror e o cinema brasileiro” com a cineasta Gabriela Amaral Almeida, o cineasta Rodrigo Aragão, a crítica de cinema Flávia Guerra. Mediação do curador Carlos Primati.
20h – A Mata Negra, de Rodrigo Aragão

01 de novembro, domingo
16h – O Nó do Diabo – Episódio 4, de Jhésus Tribuzi
18h – Mais Denso que o Sangue (curta-metragem), de Ian Abé
20h – Não tão Longe (curta-metragem), de Ian Abé

02 de novembro, segunda-feira
16h – O Nó do Diabo – Episódio 5, de Ramon Porto Mota
18h – Sem seu Sangue (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Alice Furtado
19h – Live com o curador Carlos Primati e a diretora de “Sem seu sangue” Alice Furtado
20h – As Núpcias de Drácula, de Matheus Marchetti

03 de novembro, terça-feira
18h – A Noite Amarela (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Ramon Porto Mota
20h – Os Jovens Baumann (Acessível: Legenda descritiva e interpretação em Libras), de Bruna Carvalho Almeida

04 de novembro, quarta-feira
18h – Christabel, de Alex Levy-Heller
19h – Live com a pesquisadora Laura Loguercio Cánepa e a diretora homenageada Gabriela Amaral Almeida
20h – O Animal Cordial, de Gabriela Amaral Almeida

05 de novembro, quinta-feira
18h – Uma Primavera (curta-metragem), de Gabriela Amaral Almeida
20h – #ninfabebê, de Aldo Pedrosa

06 de novembro, sexta-feira
18h – Estátua! (curta-metragem), de Gabriela Amaral Almeida
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e o ator de “Quando eu era vivo” Antonio Fagundes
20h – Quando eu era Vivo, de Marco Dutra

07 de novembro, sábado
14h – O Segredo dos Diamantes, de Helvécio Ratton
15h – A Mão que Afaga (curta-metragem), de Gabriela Amaral Almeida
16h – Curso “Trajetória do horror no cinema brasileiro” com o curador Carlos Primati – Módulo 2: José Mojica Marins e seu legado
18h – O Caseiro, de Julio Santi
19h – Palestra com a cineasta Gabriela Amaral Almeida com o tema “Escrevendo histórias de terror para o cinema”
20h – A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida

08 de novembro, domingo
16h – O Animal Cordial, de Gabriela Amaral Almeida
18h – O Clube dos Canibais, de Guto Parente
20h – Condado Macabro, de Marcos deBrito

09 de novembro, segunda-feira
18h – Quando eu era vivo, de Marco Dutra
19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de “Quando eu era vivo” e montador dos curtas da homenageada, Marco Dutra
20h – Terminal Praia Grande, de Mavi Simão

10 de novembro, terça-feira
18h – A Sombra do Pai, de Gabriela Amaral Almeida
20h – Terra e Luz, de Renné França

11 de novembro, quarta-feira
18h – A Capital dos Mortos 2: Mundo Morto, de Tiago Bellotti
20h – Nocturnu (curta-metragem), de Dennison Ramalho
21h30 – Live com o crítico Marcelo Miranda e o cineasta homenageado Dennison Ramalho

12 de novembro, quinta-feira
16h – Canto dos Ossos, de Jorge Polo e Petrus de Bairros
18h – Amor só de mãe (curta-metragem), de Dennison Ramalho
20h – Quando o Galo Cantar pela Terceira vez Renegarás tua Mãe, de Aaron Salles Torres

13 de novembro, sexta-feira
18h – O Diabo Mora Aqui, de Rodrigo Gasparini e Dante Vescio
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz de “Morto não fala” Bianca Comparato
20h – Morto não Fala, de Dennison Ramalho

14 de novembro, sábado
16h – Curso “Trajetória do horror no cinema brasileiro” com o curador Carlos Primati – Módulo 3: Horror anos 80
18h – As Núpcias de Drácula, de Matheus Marchetti
19h – Debate “A atuação no cinema de terror” com a atriz Luciana Paes, a crítica de cinema Cecília Barroso. Mediação do curador Breno Lira Gomes
20h – Christabel, de Alex Levy-Heller

15 de novembro, domingo
16h – Ninjas (curta-metragem), de Dennison Ramalho
18h – Condado Macabro, de Marcos deBrito
20h – Mal Nosso, de Samuel Galli

16 de novembro, segunda-feira
16h – A Casa de Cecília, de Clarissa Appelt
18h – O Caseiro, de Julio Santi
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e a atriz e produtora de “Através da sombra” Virginia Cavendish
20h – Através da Sombra, de Walter Lima Jr.

17 de novembro, terça-feira
16h – Morto não Fala, de Dennison Ramalho
18h – Terra e Luz, de Renné França
20h – A Capital dos Mortos 2: Mundo Morto, de Tiago Belotti

18 de novembro, quarta-feira
18h – O Clube dos Canibais, de Guto Parente
20h – O Saci (curta-metragem), de José Mojica Marins

19 de novembro, quinta-feira
16h – A Lasanha Assassina (curta-metragem), de Ale McHaddo
18h -#ninfabebê, de Aldo Pedrosa
20h – Mal Nosso, de Samuel Galli

20 de novembro, sexta-feira
18h – O Segredo de Davi (Acessível: Legenda descritiva), de Diego Freitas
19h – Live com o curador Breno Lira Gomes e o ator de “O segredo de Davi” Nicolas Prattes
20h – Tirarei as Medidas do seu Caixão (curta-metragem), de Diego Camelo

21 de novembro, sábado
14h – O segredo dos Diamantes, de Helvécio Ratton
16h – Curso “Trajetória do horror no cinema brasileiro” com o curador Carlos Primati – Módulo 4: O horror no cinema brasileiro contemporâneo
18h – Os Jovens Baumann, de Bruna Carvalho Almeida
19h – Palestra com a pesquisadora e crítica de cinema Beatriz Saldanha com o tema “Diretoras e o terror”
20h – A Casa de Cecília, de Clarissa Appelt

22 de novembro, domingo
16h – Através da Sombra, de Walter Lima Júnior
18h – Coração das trevas (Coffin Joe’s Heart of Darkness – curta-metragem)
20h – Quando o Galo Cantar pela Terceira Vez Renegarás tua Mãe, de Aaron Salles Torres

23 de novembro, segunda-feira
18h – O Cemitério das Almas Perdidas, de Rodrigo Aragão
19h – Live com o curador Carlos Primati e o diretor de “O cemitério das almas perdidas” e “A Mata Negra”, Rodrigo Aragão
20h – A Mata Negra, de Rodrigo Aragão

Mostra macaBRo – Horror Brasileiro Contemporâneo 
Realização
: Centro Cultural Banco do Brasil 
Curadoria: Breno Lira Gomes e Carlos Primati 
Data: De 28 de outubro a 23 de novembro 
Exibições gratuitas e online: www.darkflix.com.br/macabro  

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Eventos

EVENTO: 12º CINEFANTASY (Set/2021)

Publicados

em

Considerado um dos mais importantes festivais de cinema fantástico no Brasil, o Cinefantasy chega a sua 12ª edição com um total de 119 filmes de 34 países. O evento acontece de 09 a 19 de setembro, de forma híbrida, na plataforma Innsaei.TV e sessões presenciais em Fortaleza, no Ceará (Cineteatro São Luiz), com toda programação gratuita.

A grande homenageada desta edição é a atriz e diretora Helena Ignez, ícone total do cinema nacional, que recebeu o prêmio de público na 9ª edição do Cinefantasy, com a obra “Fakir”. O festival celebra a carreira da atriz, protagonista de obras icônicas, como “O Bandido da Luz Vermelha”, “Copacabana mon Amour”, entre outros, além de diretora de filmes premiados como “Luz nas Trevas – A Volta do Bandido da Luz Vermelha”, “A Moça do Calendário”, “Fakir”, etc. O festival vai exibir os filmes “A Miss e o Dinossauro”, “Canção de Baal”, “Feio, Eu?”, “Luz nas Trevas”, “Ossos”, “Poder dos Afetos”, “Reinvenção das Ruas”, e o documentário “A Mulher de Luz Própria” de Sinai Sganzerla, na plataforma SPCine Play

A Mostra de longas de ficção conta com um total de 16 títulos, de países como Alemanha, Argentina, Áustria, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Coreia do Sul, Costa Rica, El Salvador, Espanha, Etiópia, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Reino Unido, Rússia e Tailândia, sendo 15 produções e coproduções inéditas no Brasil e na América Latina.

“As Almas que Dançam no Escuro”

Com curadoria de Monica Trigo, presidente da FANTLATAM – Alianza Latinoamericana de Festivaldes de Cine Fantastico, a América Latina ganha força nesta edição com oito obras de longas-metragens. Entre os destaques, a Première Mundial do filme “As Almas que Dançam no Escuro”, do premiado diretor Marcos DeBrito (Condado Macabro); “Jim Button e os 13 Selvagens”, grande vencedor da Bavarin Film Awards na categoria filme para jovens, dirigida por Dennis Gansel (A Onda); “Cadaver Exquisito”, de Lucía Vassallo; “Días de Luz”, uma coprodução dos países da América Central com diretores do Panamá, Nicarágua, Costa Rica, Honduras, El Salvador, Guatemala; o filme boliviano “Anomalia”, de Sergio Vargas Paz – eleito como melhor roteiro na cerimônia do Grand Prêmio FANTLATAM (2021); “Rendez-Vous”, de Pablo Olmos Arrayales, vencedor dos principais festivais do México e de melhor filme e atriz no Grand Prêmio FANTLATAM (2021), e o premiado “Carro Rei”, da pernambucana Renata Pinheiro, protagonizado pelo ator Matheus Nachtergaele.

“Arcadeologia”

A Mostra Documentários traz 09 longas de países como Canadá, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, França, Brasil e Índia, a maioria inéditos no Brasil. Entre eles: “Kalpavigyan: Uma Jornada Especulativa”, de Arunava Gangopadhyay, primeiro documentário sobre a história de Bangla Kalpavigyan e sobre a ficção científica indiana; o francês “Nós Somos as novas Quimeras”, de Mathias Averty, que mostra a última edição do “Feux de Beltane” (Festival do Fogo de Beltane), uma celebração secreta para os fãs de Black Metal, através de um retrato de 6 frequentadores do festival; o espanhol “Arcadeologia”, de Mario-Paul Martínez Fabre, segue os passos da associação Arcade Vintage que se encarrega de preservar o legado do videogame; o canadense “Paraíso Perverso”, de Naddine Madell com uma exclusiva visão do mundo de uma dominatrix de elite, a Deusa Alexandra Snow. A curadoria é da jornalista e documentarista Flávia Guerra.

“S13P15A”

Já a Mostra de Curtas conta com um total de 86 títulos, de 22 países como Alemanha, Argentina, Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Coréia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Hungria, Indonésia, Itália, México, Noruega, Peru, Reino Unido, Taiwan e Turquia, selecionados para as 13 mostras competitivas, divididas pelos temas: Horror, Ficção Científica, Fantasteen, Fantasia, Estudante, Brasil Fantástico, Amador, Pequenos Fantásticos, Espanha Fantástica e Animação, além do pioneirismo mundial do gênero fantástico nas mostras Mulheres Fantásticas, Fantástica Diversidade e Fantastic Black Power. A América Latina também ganha grande destaque entre os curtas selecionados, com um total de 44 títulos, entre eles, 36 são curtas nacionais.

Pela primeira vez, a curadoria de um festival fantástico é composto somente por mulheres. A lista conta com quinze nomes, entre eles Flávia Guerra (Longas de Documentário), Graciela Guarani (Brasil Fantástico), Julia Katharine (Espanha Fantástica),e Monica Trigo (Longas de Ficção). O corpo do júri também é formado somente por mulheres, no total, 45 juradas, entre elas, Cíntia Domit Bittar, Claudia Ruiz (Argentina), Cristiane Arenas, Daina Giannecchini, Danny Barbosa, Kátia Coelho, Kátia Nascimento, Malu Andrade, Minom Pinho, Sandra Becerril (México), Sabrina Greve e Simone Matos,

Os premiados no Cinefantasy receberão o troféu José Mojica Marins e o troféu João Acaiabe para a categoria Fantastic Black Power, e as produções brasileiras concorrem a vários prêmios de parceiros institucionais do festival. Além disso, os melhores filmes brasileiros de curta e longa-metragem serão indicados para o disputado Prêmio FANTLATAM, premiação internacional da Alianza Latinoamericana de Festivales de Cine Fantástico. Toda programação está disponível no site: www.cinefantasy.com.br.


Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Eventos

LIVRO: A Estrada Amarela (2021)

Publicados

em

A Estrada Amarela

LIVRO TRAZ O SERTÃO COMO CENÁRIO DE CONTOS FANTÁSTICOS E DE MISTÉRIO

Uma estrada solitária, perdida entre tantas rotas, quase abandonada, esquecida. Lugar de passagem. Por qual motivo ficar? Os personagens de A Estrada Amarela se fazem esta pergunta. O que seria apenas mais uma rota no sertão pernambucano vai mudar a vida de 11 pessoas.

A Estrada Amarela é um livro de contos escrito pelo pernambucano Filipe Falcão. Jornalista e doutor em comunicação, Filipe faz sua estreia no mundo literário com estas histórias que se passam no sertão. Em suas jornadas, os personagens vão se deparar não apenas com acontecimentos estranhos e histórias fantásticas mas, também, terão de enfrentar anseios pessoais, antigos traumas e a solidão.

O livro, publicado pela editora Estronho, vai ter seu lançamento no dia 03 de junho por meio de uma live realizada no instagram bocadoinfernobr. “A Estrada Amarela” vai ser lançado tanto em cópia física como em formato digital e foi escrito durante o primeiro semestre de 2020, mais precisamente durante o período de quarentena provocada pela COVID-19.

“Busquei refúgio com livros, filmes e música. Por pior e mais triste que a realidade fosse, recorrer a um filme, um livro ou apenas escutar uma música sempre me ajudou a passar por momentos difíceis”, explica Filipe que por ser um grande fã da literatura fantástica e do cinema de terror, mergulhou ainda mais neste universo revisitando obras e descobrindo novos títulos.

A escolha do cenário ser o sertão de Pernambuco aconteceu de forma muito natural. “Todos os personagens deste livro moram ou estão em trânsito pelo sertão de Pernambuco. Apesar de ser recifense, sempre tive um respeito e um carinho muito especial pelo sertão e seus moradores. Uma região castigada pela seca, é verdade, mas dona de um visual único e que preencheria facilmente as páginas de um livro de poesia. Lembrei das estradas do sertão pelas quais eu próprio já transitei como pontes para histórias aguardando personagens”, relembra Filipe.

Autor – Apaixonado pelo gênero terror e por literatura fantástica, se aventura em seu primeiro livro de contos, cujo cenário é o sertão pernambucano. Jornalista, doutor em comunicação e professor universitário, Filipe é um dos mais atuantes pesquisadores de cinema de terror no Brasil, já tendo lançados livros acadêmicos como Fronteiras do medo: quando Hollywood refilma o horror japonês (2015) e A aceleração do medo: o fluxo narrativo dos remakes de filmes de horror do século XXI (2018). Filipe também atua como crítico e colaborador do portal Boca do Inferno, maior portal de filmes de terror do Brasil.

Serviço:
Lançamento “A Estrada Amarela”
Data: 03 de junho, às 20h
Instagram: @bocadoinfernobr

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Eventos

EVENTO: Diálogos sobre a Literatura Fantástica (27 a 29/04)

Publicados

em

Literatura Fantástica

Com uma produção cada vez maior no mercado literário brasileiro, o estilo fantástico vem se sobressaindo e conquistando novos públicos. E atentos a este fenômeno crescente, o coletivo Toca o Terror vem há sete anos divulgando o trabalho de cineastas, escritores e realizadores que lidam com este gênero.

É com isto em mente que o coletivo vai debater a produção atual da literatura fantástica no estado com a participação de três autores locais. Nos dias 27, 28 e 29 de abril, o público poderá conhecer melhor a obra dos escritores Geraldo de Fraga, André Balaio e Frederico Toscano em debates virtuais pelo canal do Toca o Terror no YouTube em cada um destes dias às 20h.

Idealizado pelo produtor cultural Jarmeson de Lima, o projeto “Diálogos Sobre a Literatura Fantástica em Pernambuco” foi selecionado pelo Edital de Formação e Pesquisa da Lei Aldir Blanc em Pernambuco e conta com produção da equipe do Toca o Terror.

Autores – Geraldo de Fraga é jornalista e escritor, autor dos livros “Histórias que nos Sangram”, lançado em 2009 e “Medos Aleatórios” em 2018. O autor também participou das coletâneas de contos “Histórias Medonhas do Recife Assombrado” e “Malassombramentos: Os Arquivos Secretos do Recife Assombrado”.

André Balaio é um dos fundadores do projeto “O Recife Assombrado“, que reúne textos e narrativas gráficas de terror a partir de casos populares de Pernambuco. Depois de escrever roteiros para quadrinhos e cinema, Balaio lança em prosa “Quebranto“, seu primeiro livro de contos. O autor foi finalista do Prêmio SESC 2017 e terceiro colocado no Concurso Internacional UBE – RJ 2017.

Frederico Toscano é historiador e escritor com obras publicadas sobre o Recife no início do Século XX. Em 2017 teve contos publicados nas coletâneas “Trasgo – Ano 1” e “A Maior Cidade Pequena do Mundo em Linha Reta“. “Carapaça Escura“, seu livro mais recente de ficção, é um trabalho que confirma o talento de um escritor que sabe trafegar entre gêneros completamente diferentes com um texto igualmente fluido.

Organização – Além de um site que divulga a produção nacional e internacional do gênero, o Toca o Terror criou um podcast com mais de 100 edições e está com um programa de rádio semanal na Frei Caneca FM 101.5. Composto por Felipe Macedo, Geraldo de Fraga, Jarmeson de Lima, Jota Bosco, Júlio César Carvalho e Osvaldo Neto, o Toca o Terror criou o primeiro cineclube do gênero fantástico no Recife e produziu a mostra MEDONHO com uma maratona de 10h de filmes de terror com curtas e longas metragens.

Diálogos Sobre a Literatura Fantástica em Pernambuco
27/abr – 20h – Convidado: Geraldo de Fraga
28/abr – 20h – Convidado: André Balaio
29/abr – 20h – Convidado: Frederico Toscano
Online em Youtube.com/TocaOTerror
Apoio: Edital LAB PE Formação e Pesquisa – Secult/PE

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Que tal aquela forcinha?

PicPay @tocaoterror

Publicidade

Publicidade

Trending