conecte-se conosco

Dicas

LISTA: Top 20 – Melhores filmes da década (2010-2020)

Publicados

em


Neste final de ano, nossa retrospectiva será diferente. Como se aproxima uma nova década, estamos agora compilando os melhores filmes de terror lançado nos últimos 10 anos. Os integrantes da equipe do Toca o Terror escolheram em votação individual os seus preferidos por ano e aqui chegamos a esta lista com as 20 obras mais importantes do estilo que apreciamos.
Dentre os selecionados, temos duas produções latinas, dois filmes orientais, sete obras de realizadores estreantes e um remake que ganhou os cinemas no mundo. Vale lembrar que estamos considerando o ano de lançamento de cada filme segundo a data cadastrada no IMDB.


TOP 20 – MELHORES FILMES DE TERROR DA DÉCADA (2010 – 2019)

20 – Byzantium: Uma Vida Eterna (Byzantium, 2012)

Direção: Neil Jordan

O longa é adaptado a partir da peça teatral A Vampire Story da escritora Moira Buffini que também assina o roteiro. Com uma direção impecável de ninguém menos que Neil Jordan, Byzantium é tecnicamente muito bem cuidado. O deslumbre visual é um dos pontos fortes desse longa que conta com a bela fotografia de Sean Bobbitt, que nos presenteia com quadros espetaculares. [por Júlio Carvalho]


19 – IT – A Coisa (IT, 2017)

Direção: Andy Muschietti

“It- A Coisa” é um puta filmão! Violento, chocante e, de coração, confesso que o longa não decepciona quem procura uma boa diversão sangrenta e com conteúdo. O elenco está maravilhoso entregando atuações convincentes que vão do terror ao drama de forma natural. Destaco principalmente Bill Skargard, que vive o vilão Pennywise de uma forma realmente assustadora e que convence tanto quanto o icônico palhaço de Tim Curry. [por Felipe Macedo]


18 – A Casa do Fim dos Tempos (La Casa del Fin de Los Tiempos, 2013)

Direção: Alejandro Hidalgo

Em seu longa de estreia, o diretor venezuelano é a personificação do ditado de que o talento supera qualquer adversidade. La Casa Del Fin De Los Tiempos (2013) é uma aula de como fazer cinema fantástico. O longa de Alejandro Hidalgo é o primeiro filme do gênero filmado na Venezuela e fez uma bela bilheteria em seu país. A fita rodou alguns festivais e arrebatou várias críticas positivas por onde passou. [por Geraldo de Fraga]


17 – O Bar Luva Dourada (Der goldene Handschuh, 2019)

Direção: Fatih Akin

O Bar Luva Dourada não é um filme de terror convencional, se é que se pode mesmo chamar de terror. Tampouco é um suspense padrão, embora trate de uma série de assassinatos cometidos na Alemanha durante a década de 1970. Há muito pouco de Hollywood e bastante de vida real aqui, e este é o trunfo maior da história. [por Frederico Toscano]


16 – Tucker e Dale contra o Mal (Tucker and Dale vs Evil, 2010)

Direção: Eli Craig

Divertidíssima comédia canadense sobre um grupo de jovens que vai para uma cabana no meio de uma floresta com o objetivo de festejar como se não houvesse amanhã (local onde ocorreu um grande massacre, segundo as lendas). O clichê dos clichês dos filmes do gênero se completa quando os jovens se deparam com Tucker e Dale, dois caipiras que só querem passar o tempo pescando, tomando cerveja e reformando seu barraco recém comprado, e os confundem com assassinos. A partir daí os dois amigos terão de fugir daqueles que querem matá-los para não serem mortos. [por Jota Bosco]


15 – O Homem nas Trevas (Don’t Breathe, 2016)

Direção: Fede Alvarez

O tom do filme se torna extremamente claustrofóbico e os todos os atores se saem bem em demonstrar o terror e o desespero de seus personagens em uma casa que parece um labirinto sem saída. O personagem de Stephen Lang tem uma presença física incrível e suas poucas falas só ajudam dar mais crueldade à trama. [por Jarmeson de Lima e Felipe Macedo]


14 – Predadores Assassinos (Crawl, 2019)

Direção: Alexandre Aja

Em seus menos de 90 minutos de duração, PREDADORES ASSASSINOS agrada bastante. O filme é uma boa mistura de ‘terror de sobrevivência’ e ‘filme catástrofe’ com ótimos efeitos, atuações acima da média e cenas onde a violência gráfica é muito bem dosada por Aja. [por Osvaldo Neto]


13 – Corrente do Mal (It Follows, 2014)

Direção: David Robert Mitchell

Um ponto positivo do filme vem do estilo voyeurístico empregado na câmera e em seus zooms para nos envolver com a trama e criar um clima de tensão. Já vimos câmeras subjetivas assim várias vezes no cinema de gênero, mas o bom é que em “It Follows” você também não tem certeza do que ou quem está vendo o quê. [por Jarmeson de Lima]


12 – A Perfeição (The Perfection, 2018)

Direção: Richard Shepard

É uma trama que nos leva a caminhos sinuosos, cheio de curvas e armadilhas. A produção é até bem acima da média do que se costuma ter na Netflix. O elenco escalado ajuda bastante no crescimento do longa. Não tenho do que reclamar. Sustenta com vigor e convence. [por Tati Regis]


11 – Kill List (2011)

Direção: Ben Wheatley

Oito meses após um trabalho desastroso em Kiev, Um mercenário é pressionado por seu antigo parceiro a assumir uma nova missão: assassinar três pessoas. Ao descer para um mundo bizarro e perturbador que envolve o trabalho a ser feito, o já sequelado assassino de aluguel começa a ser engolido pelo medo e a paranóia e terminará chegando a um ponto de onde não há retorno. Um incômodo filme britânico com clima de tensão crescente que vai fazer você ficar grudado no sofá até o último segundo. [por Jota Bosco]


10 – Rastro de Maldade (Bone Tomahawk, 2015)

Direção: S. Craig Zahler


Bone Tomahawk mostra pouco, mas mostra “bonito”. É verdade que não é um festival de gore gratuito como no fraquíssimo Canibais de Eli Roth, mas choca muito mais. A violência visual não se resume apenas a cenas de mutilação, mas tem também certas visões perturbadoras como as das mulheres do clã de canibais. [por Júlio Carvalho]


9 – Nós (Us, 2019)

Direção: Jordan Peele

“Nós” tenta retratar bem nossa atual realidade. Sua mensagem é universal nesses tempos sombrios que vivemos onde não estamos imunes a situações de caos e violência. Mas se você quiser pular todas as mensagens que o filme passa e ter uma experiência totalmente escapista, o filme também funciona e entrega tensão e bons sustos. [por Felipe Macedo]


8 – Mandy: Sede de Vingança (Mandy, 2018)

Direção: Panos Cosmatos

O diretor nos concebe um filme que é um verdadeiro alucinógeno cinematográfico no qual o áudio e o visual servem para entorpecer o espectador a cada segundo. O cara sabe tanto o que tá fazendo, que todo o lance “viajado” não compromete a estrutura narrativa e nem o ritmo da produção. [por Júlio Carvalho]


7 – A Enviada do Mal (February/The Blackcoat’s Daughter, 2015)

Direção: Oz Perkins

O mistério é a grande força de February. O fato é que não estamos diante de um filme fácil. Não há diálogos expositivos aqui. Tudo é na base da sugestão onde praticamente todas as cenas tem uma função narrativa e dizem muito sobre cada personagem. [por Júlio Carvalho]


6 – O Babadook (The Babadook, 2014)

Direção: Jennifer Kent

Como em qualquer produção do gênero, a presença sobrenatural é primeiramente tratada como um problema psicológico da criança, mas logo a mãe vai ficando desconfiada de que nem tudo é imaginação. Clichês à parte, o que chama a atenção é que a transformação pela qual a protagonista vai passando é desenvolvida com maestria por Essie Davis. [por Geraldo de Fraga]


5 – Invasão Zumbi (Train to Busan/Busanhaeng, 2016)

Direção: Sang-ho Yeon

Seu roteiro é enxuto, convincente e com diálogos certeiros. Sua direção é competente e nos entrega ótimas sequências de ação, suspense, bons sustos e até um drama eficiente. Vale ressaltar que não é do tipo de filme de terror que dá medo, mas do tipo que cria muita tensão. [por Júlio Carvalho]


4 – Aterrorizados (Aterrados, 2017)

Direção: Demián Rugna

Um belo trunfo de Aterrorizados é focar nos efeitos práticos, até na hora dos jump scares. Tudo é muito mais realista do que certas produções hollywoodianas. O filme de Demián Rugna é uma obra que oxigena o gênero ‘poltergeist’ como nenhuma outra conseguiu recentemente. [por Geraldo de Fraga]


3 – A Bruxa (The VVitch, 2015)

Direção: Robert Eggers

A Bruxa não tem personagens descartáveis e conta com atuações competentes de todo o elenco. Thomasin, que pode ser apontada como a principal protagonista, encarna com louvor a figura de injustiçada, remetendo aos julgamentos de mulheres durante a inquisição. [por Geraldo de Fraga]


2 – Hereditário (Hereditary, 2018)

Direção: Ari Aster

Hereditário é um ótimo filme, com personalidade própria e que marca seu território em um campo que vem sendo dominado pelo jumpscare fácil ou pelos clichês de gênero. Denso, perturbador, misterioso, iconoclasta e macabro. Depois que você descobre a trama, logo começa a respirar do mesmo medo que os personagens da história. [por Jarmeson de Lima]


1 – Eu vi o Diabo (I Saw the Devil/Ang-ma-reul bo-at-da, 2010)

Direção: Jee-woon Kim

Em uma noite de neve intensa, um homem se oferece para ajudar a trocar o pneu do carro de uma jovem na beira de uma estrada e termina por espancar, assassinar e esquartejar a vítima. Só que a jovem era a noiva de um agente do serviço secreto que, a partir dessa tragédia, decide que seu objetivo de vida será capturar, merendar o psicopata na porrada e depois soltá-lo, apenas para começar novamente esse ciclo ad infinitum…
Filme que eleva à enésima potência uma coisa já revisitada em vários filmes do gênero: Faça tudo mas não pise no calo de um sul-coreano. Eles são extremamente vingativos!
[por Jota Bosco]



LISTAS INDIVIDUAIS – EQUIPE DO TOCA O TERROR

* FELIPE MACEDO

(Terror nos Bastidores / The Final Girls)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Perigo em Alto Mar / The Reef (2010)
Bedevilled (2010)
Pânico 4 / Scream 4 (2011)
Kill List (2011)
Juan dos Mortos / Juan de Los Muertos (2011)
The Bay (2012)
O Colecionador de Corpos / The Collection (2012)
A Mulher de Preto / The Woman in Black (2012)
A Maldição de Chucky / Curse of Chucky (2013)
A Morte do Demônio / Evil Dead (2013)
Bad Milo! (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Olhos de Estrela / Starry Eyes (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
O Pesadelo / The Nightmare (2015)
Terror nos Bastidores / The Final Girls (2015)
A Sombra do Medo / Under the Shadow (2016)
Hush: A Morte Ouve / Hush (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Medo Profundo / 47 Meters Down (2017)
Plano Sequência dos Mortos / One Cut of the Dead (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Um Lugar Silencioso / A Quiet Place (2018)
Megatubarão / The Meg (2018)
Nós / Us (2019)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Haunt (2019)



* GERALDO DE FRAGA

(O Caçador de Trolls / Trolljegeren)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Confissões / Kokuhaku (2010)
O Caçador de Trolls / Trolljegeren (2010)
Juan dos Mortos / Juan de Los Muertos (2011)
O Segredo da Cabana / The Cabin in the Woods (2011)
A Pele Que Habito / La piel que habito (2011)
Acorrentados / Chained (2012)
V/H/S (2012)
The Bay (2012)
As Bruxas de Zugarramurdi / Las brujas de Zugarramurdi (2013)
Mar Negro (2013)
Amantes Eternos / Only Lovers Left Alive (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
O Que Fazemos nas Sombras / What We Do in the Shadows (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Sombra do Medo / Under the Shadow (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Fragmentado / Split (2016)
IT – A Coisa / IT (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Corra! / Get Out (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Um Lugar Silencioso / A Quiet Place (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
Nós / Us (2019)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
O Farol / The Lighthouse (2019)



* JARMESON DE LIMA

(Quando Eu Era Vivo)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Cisne Negro / Black Swan (2010)
Você é o Próximo / You’re Next (2011)
Ataque ao Prédio / Attack the Block (2011)
Livide (2011)
Byzantium: Uma Vida Eterna / Byzantium (2012)
V/H/S (2012)
Berberian Sound Studio (2012)
Infectado / Afflicted (2013)
The Den (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
Quando Eu Era Vivo (2014)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Visita / The Visit (2015)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
A Autópsia / The Autopsy of Jane Doe (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Rua Cloverfield, 10 / 10 Cloverfield Lane (2016)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Mãe! / Mother! (2017)
IT – A Coisa / IT (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
A Perfeição / The Perfection (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
O Farol / The Lighthouse (2019)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
Midsommar – O Mal Não Espera a Noite / Midsommar (2019)



* JOTA BOSCO

(Creep)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Cold Fish (2010)
O Caçador de Trolls / Trolljegeren (2010)
The Woman – Nem Todo Monstro Vive na Selva / The Woman (2011)
Ataque ao Prédio / Attack the Block (2011)
A Pele Que Habito / La piel que habito (2011)
Acorrentados / Chained (2012)
Stitches: O Retorno do Palhaço Assassino / Stitches (2012)
American Mary (2012)
As Bruxas de Zugarramurdi / Las brujas de Zugarramurdi (2013)
Invocação do Mal / The Conjuring (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
Olhos de Estrela / Starry Eyes (2014)
O Babadook / The Babadook (2014)
Creep (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
A Enviada do Mal / February (2015)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
O Homem nas Trevas / Don’t Breathe (2016)
Rua Cloverfield, 10 / 10 Cloverfield Lane (2016)
IT – A Coisa / IT (2017)
O Sacrifício do Cervo Sagrado / The Killing of a Sacred Deer (2017)
Corra! / Get Out (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
Nós / Us (2019)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Menções honrosas:
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Kill List (2011)
Berberian Sound Studio (2012)
Mar Negro (2013)
O Que Fazemos nas Sombras / What We Do in the Shadows (2014)
Sala Verde / Green Room (2015)
Hush: A Morte Ouve / Hush (2016)
Pazúcus: A Ilha do Desarrego (2017)
A Perfeição / The Perfection (2018)



* JÚLIO CARVALHO

(Confissões / Confessions / Kokuhaku)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Bedevilled (2010)
Confissões / Confessions / Kokuhaku (2010)
Kill List (2011)
Culpada por Romance / Koi no tsumi (2011)
Eu sou um Fantasma / I Am a Ghost (2012)
Byzantium: Uma Vida Eterna / Byzantium (2012)
O Maníaco / Maniac (2012)
Rigor Mortis / Goeng See (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
Miss Zombie (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Fatal Frame / Gekijô-ban: Zero (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
Grave / Raw (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
A Seita Maligna / The Void (2016)
As Boas Maneiras (2017)
O Rastro (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Morto Não Fala (2018)
Nós / Us (2019)



* OSVALDO

(As Fábulas Negras)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Kill List (2011)
Enquanto Você Dorme / Mientras duermes (2011)
Pesadelos do Passado / The Pact (2012)
Excision (2012)
Resolution (2012)
Sob a Pele / Under the Skin (2013)
The Den (2013)
No One Lives (2013)
Quando Eu Era Vivo (2014)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
As Fábulas Negras (2015)
O Lamento / The Wailing (2016)
O Homem nas Trevas / Don’t Breathe (2016)
A Seita Maligna / The Void (2016)
Happy Hunting (2017)
Plano Sequência dos Mortos / One Cut of the Dead (2017)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Hereditário / Hereditary (2018)
Morto Não Fala (2018)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Menções honrosas:
Rubber, O Pneu Assassino / Rubber (2010)
O Hóspede / The Guest (2014)
Aprisionados / Let us Prey (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Vida / Life (2017)
As Boas Maneiras (2017)
Brinquedo Assassino / Child’s Play (2019)
Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro / Scary Stories to Tell in the Dark (2019)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo
Clique para comentar

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

DICA DA SEMANA: Rituais (1977)

Publicados

em

Rituais

Minha DICA DA SEMANA conta a história de um grupo de cinco médicos que resolvem se aventurar por alguns dias no meio da natureza em um tipo de versão canadense de “Amargo Pesadelo“.

Rituais” (Rituals) dirigido por Peter Carter, com bela fotografia de René Verzier, assim como o ótimo australiano “Um Longo Fim de Semana“, nos mostra uma natureza que ao mesmo tempo pode ser bela e terrível. Não bastassem as situações adversas da viagem, tudo começa a piorar com a presença de um “stalker” (ou seria mais de um?) que decide infernizar o grupo com suas “travessuras”.

Tudo começa com um inocente roubo das botas de todos. Porém, depois, quando a brincadeira avança pra uma cabeça de alce pendurada numa árvore, a trupe chega à conclusão que está na hora de procurar um jeito de voltar para casa… só que nosso amigo nativo não está muito disposto a deixar que saiam dali facilmente.

Os integrantes do grupo começam a sucumbir armadilha após armadilha e, assim como o perseguidor em cima do morro, observamos uma já abalada amizade ser posta à prova por mágoas e ressentimentos vindo à tona devido aos momentos de pressão (fórmula que funciona muito bem no ótimo “Abismo do Medo“, de Neil Marshall). A obra, que foi filmada em continuidade, deixa ainda mais visível o desgaste causado aos atores e é aí que o saudoso Hal Holbrook (“Creepshow“, “A Bruma Assassina“) brilha como Harry.

Apesar do baixo custo da produção, a maquiagem eficiente de Carl Fullerton (“Sexta-Feira 13 parte 2 e 3″, “O Silêncio dos Inocentes“, etc.) traz o pouco de gore que a gente tanto gosta em cenas como a da cauterização com pólvora (Rambo bebeu nessa fonte? E a faixa vermelha na cabeça, hein?) e a bela música de Hagood Hardy valorizam ainda mais o resultado final.

A meu ver o ponto fraco do filme é a resolução final. Citando o protagonista, “Há coisas piores na vida do que leite em pó, suponho” e o final desse filme é uma delas (apesar de ser ao mesmo tempo bastante sinistro).

Confiram “Rituaisnessa cópia sem cortes e com bem menos riscos e ruídos que uma outra versão que roda a internet há um bom tempo. Boa diversão!

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Triângulo do Medo (2009)

Publicados

em

Triângulo do Medo

Na busca por algo mais “desafiador” para indicar, vi que no Amazon Prime Video ainda está disponível o cabuloso e intrigante TRIÂNGULO DO MEDO (Triangle, 2009), filme que me surpreendeu na época do seu lançamento e que só melhora a cada revisão.

Em TRIÂNGULO DO MEDO, Jess, e um grupo de amigos, sofrem um acidente em alto mar e ficam à deriva em cima do casco da embarcação que está de ponta cabeça. Eis que um enorme cruzeiro surge para salvação de todos. Ao embarcarem, o navio parece estar abandonado até que uma pessoa mascarada aparece pra matar geral. Agora nossa protagonista só pensa em voltar para seu filho, mas tudo só piora quando percebe que está presa num tipo de looping temporal.

Escrito e dirigido por Christopher Smith (Mutilados, Trem do Medo, Morte Negra), TRIÂNGULO DO MEDO poderia cair fácil nas armadilhas da própria premissa e findar num filme chato e confuso, mas é justamente o contrário, pois o cineasta soube trabalhar as “repetições” sempre entregando elementos novos que vão se encaixando conforme avança em toda sua espiral de insanidade e violência. O roteiro além de não tratar o espectador como incapaz – não se vale de diálogos expositivos que explicam tudo a cada momento – ainda traz questões sobre maternidade que servem para a trama e além.

Violento e com um quebra-cabeça muito bem arquitetado, TRIÂNGULO DO MEDO é altamente indicado para quem curte ficar teorizando, pois é aquele tipo de filme que dá um nó nas idéias por ser cheio de detalhes que podem passar despercebidos a primeira vista, mas que numa revisão só melhoram a experiência.

NOTA: Se gosta desse tipo de filme e quer conhecer outros de terror que tratam tratam de viagens temporais, indicamos aqui mais 2 filmes do tipo pra você.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: 13 Fantasmas (1960)

Publicados

em

13 Fantasmas

Se 1 fantasma já dá medo, imagine ter que lidar com 13 ao mesmo tempo em uma casa. Essa é a premissa de um filme que já entrega de cara e sem rodeio o que veremos: “13 Fantasmas” (13 Ghosts), produção de William Castle que obviamente deu bem o que falar quando foi lançado há 61 anos.

Quem ligou o nome à pessoa sabe que Castle era o “rei da munganga” no cinema dos anos 50 e 60 sempre dando um jeitinho de apimentar as sessões de seus filmes de formas inusitadas. Em “Força Diabólica” (The Tingler), ele colocou botões pra dar choque nos espectadores; em “A Máscara do Horror” (Mr. Sardonicus), ele praticamente inventou o “Você Decide“… e por aí vai.

Nesta produção tipicamente modesta mas bem produzida, o diretor instruía o público a colocar uma espécie de “óculos 3D” para visualizar os fantasmas que apareciam em cena. E apesar da tecnologia 3D já estar em uso há alguns anos, a técnica dele chamada de “Illusion-O” era mais arrojada, com sequências em cores que tinham contraste com as lentes dos óculos que a plateia recebia e colocava no rosto a cada indicação na tela.

Mas tirando esta parte “interativa”, “13 Fantasmas” por si só garante a diversão. Claro que tem uma história meio batida como a de uma família que recebe a herança de um antepassado e que precisa de alguma forma passar uns dias em uma casa sinistra. O que eles não contavam é que o excêntrico Dr. Zorba tinha o hábito de capturar fantasmas pelo mundo e guardá-los em um dispositivo na casa onde a família precisa ir.

Em termos estéticos, os fantasmas que aparecem até lembram aquelas assombrações dos curtas de Lumiére e Segundo de Chomón com cenas sobrepostas em cenários filmados. Além dessas referências e da história que não traz muitas surpresas, “13 Fantasmas” também é marcante por ser um dos primeiros filmes do cinema norteamericano a usar a tábua Ouija da forma como conhecemos, com direito a um baita susto nos personagens e nos espectadores.

Para saciar sua curiosidade a respeito dessa obra de William Castle, acesse o catálogo do Plex em seu computador ou em Smart Tvs e finja que o remake dos anos 2000 nunca existiu.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Trending