conecte-se conosco

Dicas

LISTA: Top 20 – Melhores filmes da década (2010-2020)

Publicados

em


Neste final de ano, nossa retrospectiva será diferente. Como se aproxima uma nova década, estamos agora compilando os melhores filmes de terror lançado nos últimos 10 anos. Os integrantes da equipe do Toca o Terror escolheram em votação individual os seus preferidos por ano e aqui chegamos a esta lista com as 20 obras mais importantes do estilo que apreciamos.
Dentre os selecionados, temos duas produções latinas, dois filmes orientais, sete obras de realizadores estreantes e um remake que ganhou os cinemas no mundo. Vale lembrar que estamos considerando o ano de lançamento de cada filme segundo a data cadastrada no IMDB.


TOP 20 – MELHORES FILMES DE TERROR DA DÉCADA (2010 – 2019)

20 – Byzantium: Uma Vida Eterna (Byzantium, 2012)

Direção: Neil Jordan

O longa é adaptado a partir da peça teatral A Vampire Story da escritora Moira Buffini que também assina o roteiro. Com uma direção impecável de ninguém menos que Neil Jordan, Byzantium é tecnicamente muito bem cuidado. O deslumbre visual é um dos pontos fortes desse longa que conta com a bela fotografia de Sean Bobbitt, que nos presenteia com quadros espetaculares. [por Júlio Carvalho]


19 – IT – A Coisa (IT, 2017)

Direção: Andy Muschietti

“It- A Coisa” é um puta filmão! Violento, chocante e, de coração, confesso que o longa não decepciona quem procura uma boa diversão sangrenta e com conteúdo. O elenco está maravilhoso entregando atuações convincentes que vão do terror ao drama de forma natural. Destaco principalmente Bill Skargard, que vive o vilão Pennywise de uma forma realmente assustadora e que convence tanto quanto o icônico palhaço de Tim Curry. [por Felipe Macedo]


18 – A Casa do Fim dos Tempos (La Casa del Fin de Los Tiempos, 2013)

Direção: Alejandro Hidalgo

Em seu longa de estreia, o diretor venezuelano é a personificação do ditado de que o talento supera qualquer adversidade. La Casa Del Fin De Los Tiempos (2013) é uma aula de como fazer cinema fantástico. O longa de Alejandro Hidalgo é o primeiro filme do gênero filmado na Venezuela e fez uma bela bilheteria em seu país. A fita rodou alguns festivais e arrebatou várias críticas positivas por onde passou. [por Geraldo de Fraga]


17 – O Bar Luva Dourada (Der goldene Handschuh, 2019)

Direção: Fatih Akin

O Bar Luva Dourada não é um filme de terror convencional, se é que se pode mesmo chamar de terror. Tampouco é um suspense padrão, embora trate de uma série de assassinatos cometidos na Alemanha durante a década de 1970. Há muito pouco de Hollywood e bastante de vida real aqui, e este é o trunfo maior da história. [por Frederico Toscano]


16 – Tucker e Dale contra o Mal (Tucker and Dale vs Evil, 2010)

Direção: Eli Craig

Divertidíssima comédia canadense sobre um grupo de jovens que vai para uma cabana no meio de uma floresta com o objetivo de festejar como se não houvesse amanhã (local onde ocorreu um grande massacre, segundo as lendas). O clichê dos clichês dos filmes do gênero se completa quando os jovens se deparam com Tucker e Dale, dois caipiras que só querem passar o tempo pescando, tomando cerveja e reformando seu barraco recém comprado, e os confundem com assassinos. A partir daí os dois amigos terão de fugir daqueles que querem matá-los para não serem mortos. [por Jota Bosco]


15 – O Homem nas Trevas (Don’t Breathe, 2016)

Direção: Fede Alvarez

O tom do filme se torna extremamente claustrofóbico e os todos os atores se saem bem em demonstrar o terror e o desespero de seus personagens em uma casa que parece um labirinto sem saída. O personagem de Stephen Lang tem uma presença física incrível e suas poucas falas só ajudam dar mais crueldade à trama. [por Jarmeson de Lima e Felipe Macedo]


14 – Predadores Assassinos (Crawl, 2019)

Direção: Alexandre Aja

Em seus menos de 90 minutos de duração, PREDADORES ASSASSINOS agrada bastante. O filme é uma boa mistura de ‘terror de sobrevivência’ e ‘filme catástrofe’ com ótimos efeitos, atuações acima da média e cenas onde a violência gráfica é muito bem dosada por Aja. [por Osvaldo Neto]


13 – Corrente do Mal (It Follows, 2014)

Direção: David Robert Mitchell

Um ponto positivo do filme vem do estilo voyeurístico empregado na câmera e em seus zooms para nos envolver com a trama e criar um clima de tensão. Já vimos câmeras subjetivas assim várias vezes no cinema de gênero, mas o bom é que em “It Follows” você também não tem certeza do que ou quem está vendo o quê. [por Jarmeson de Lima]


12 – A Perfeição (The Perfection, 2018)

Direção: Richard Shepard

É uma trama que nos leva a caminhos sinuosos, cheio de curvas e armadilhas. A produção é até bem acima da média do que se costuma ter na Netflix. O elenco escalado ajuda bastante no crescimento do longa. Não tenho do que reclamar. Sustenta com vigor e convence. [por Tati Regis]


11 – Kill List (2011)

Direção: Ben Wheatley

Oito meses após um trabalho desastroso em Kiev, Um mercenário é pressionado por seu antigo parceiro a assumir uma nova missão: assassinar três pessoas. Ao descer para um mundo bizarro e perturbador que envolve o trabalho a ser feito, o já sequelado assassino de aluguel começa a ser engolido pelo medo e a paranóia e terminará chegando a um ponto de onde não há retorno. Um incômodo filme britânico com clima de tensão crescente que vai fazer você ficar grudado no sofá até o último segundo. [por Jota Bosco]


10 – Rastro de Maldade (Bone Tomahawk, 2015)

Direção: S. Craig Zahler


Bone Tomahawk mostra pouco, mas mostra “bonito”. É verdade que não é um festival de gore gratuito como no fraquíssimo Canibais de Eli Roth, mas choca muito mais. A violência visual não se resume apenas a cenas de mutilação, mas tem também certas visões perturbadoras como as das mulheres do clã de canibais. [por Júlio Carvalho]


9 – Nós (Us, 2019)

Direção: Jordan Peele

“Nós” tenta retratar bem nossa atual realidade. Sua mensagem é universal nesses tempos sombrios que vivemos onde não estamos imunes a situações de caos e violência. Mas se você quiser pular todas as mensagens que o filme passa e ter uma experiência totalmente escapista, o filme também funciona e entrega tensão e bons sustos. [por Felipe Macedo]


8 – Mandy: Sede de Vingança (Mandy, 2018)

Direção: Panos Cosmatos

O diretor nos concebe um filme que é um verdadeiro alucinógeno cinematográfico no qual o áudio e o visual servem para entorpecer o espectador a cada segundo. O cara sabe tanto o que tá fazendo, que todo o lance “viajado” não compromete a estrutura narrativa e nem o ritmo da produção. [por Júlio Carvalho]


7 – A Enviada do Mal (February/The Blackcoat’s Daughter, 2015)

Direção: Oz Perkins

O mistério é a grande força de February. O fato é que não estamos diante de um filme fácil. Não há diálogos expositivos aqui. Tudo é na base da sugestão onde praticamente todas as cenas tem uma função narrativa e dizem muito sobre cada personagem. [por Júlio Carvalho]


6 – O Babadook (The Babadook, 2014)

Direção: Jennifer Kent

Como em qualquer produção do gênero, a presença sobrenatural é primeiramente tratada como um problema psicológico da criança, mas logo a mãe vai ficando desconfiada de que nem tudo é imaginação. Clichês à parte, o que chama a atenção é que a transformação pela qual a protagonista vai passando é desenvolvida com maestria por Essie Davis. [por Geraldo de Fraga]


5 – Invasão Zumbi (Train to Busan/Busanhaeng, 2016)

Direção: Sang-ho Yeon

Seu roteiro é enxuto, convincente e com diálogos certeiros. Sua direção é competente e nos entrega ótimas sequências de ação, suspense, bons sustos e até um drama eficiente. Vale ressaltar que não é do tipo de filme de terror que dá medo, mas do tipo que cria muita tensão. [por Júlio Carvalho]


4 – Aterrorizados (Aterrados, 2017)

Direção: Demián Rugna

Um belo trunfo de Aterrorizados é focar nos efeitos práticos, até na hora dos jump scares. Tudo é muito mais realista do que certas produções hollywoodianas. O filme de Demián Rugna é uma obra que oxigena o gênero ‘poltergeist’ como nenhuma outra conseguiu recentemente. [por Geraldo de Fraga]


3 – A Bruxa (The VVitch, 2015)

Direção: Robert Eggers

A Bruxa não tem personagens descartáveis e conta com atuações competentes de todo o elenco. Thomasin, que pode ser apontada como a principal protagonista, encarna com louvor a figura de injustiçada, remetendo aos julgamentos de mulheres durante a inquisição. [por Geraldo de Fraga]


2 – Hereditário (Hereditary, 2018)

Direção: Ari Aster

Hereditário é um ótimo filme, com personalidade própria e que marca seu território em um campo que vem sendo dominado pelo jumpscare fácil ou pelos clichês de gênero. Denso, perturbador, misterioso, iconoclasta e macabro. Depois que você descobre a trama, logo começa a respirar do mesmo medo que os personagens da história. [por Jarmeson de Lima]


1 – Eu vi o Diabo (I Saw the Devil/Ang-ma-reul bo-at-da, 2010)

Direção: Jee-woon Kim

Em uma noite de neve intensa, um homem se oferece para ajudar a trocar o pneu do carro de uma jovem na beira de uma estrada e termina por espancar, assassinar e esquartejar a vítima. Só que a jovem era a noiva de um agente do serviço secreto que, a partir dessa tragédia, decide que seu objetivo de vida será capturar, merendar o psicopata na porrada e depois soltá-lo, apenas para começar novamente esse ciclo ad infinitum…
Filme que eleva à enésima potência uma coisa já revisitada em vários filmes do gênero: Faça tudo mas não pise no calo de um sul-coreano. Eles são extremamente vingativos!
[por Jota Bosco]



LISTAS INDIVIDUAIS – EQUIPE DO TOCA O TERROR

* FELIPE MACEDO

(Terror nos Bastidores / The Final Girls)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Perigo em Alto Mar / The Reef (2010)
Bedevilled (2010)
Pânico 4 / Scream 4 (2011)
Kill List (2011)
Juan dos Mortos / Juan de Los Muertos (2011)
The Bay (2012)
O Colecionador de Corpos / The Collection (2012)
A Mulher de Preto / The Woman in Black (2012)
A Maldição de Chucky / Curse of Chucky (2013)
A Morte do Demônio / Evil Dead (2013)
Bad Milo! (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Olhos de Estrela / Starry Eyes (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
O Pesadelo / The Nightmare (2015)
Terror nos Bastidores / The Final Girls (2015)
A Sombra do Medo / Under the Shadow (2016)
Hush: A Morte Ouve / Hush (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Medo Profundo / 47 Meters Down (2017)
Plano Sequência dos Mortos / One Cut of the Dead (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Um Lugar Silencioso / A Quiet Place (2018)
Megatubarão / The Meg (2018)
Nós / Us (2019)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Haunt (2019)



* GERALDO DE FRAGA

(O Caçador de Trolls / Trolljegeren)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Confissões / Kokuhaku (2010)
O Caçador de Trolls / Trolljegeren (2010)
Juan dos Mortos / Juan de Los Muertos (2011)
O Segredo da Cabana / The Cabin in the Woods (2011)
A Pele Que Habito / La piel que habito (2011)
Acorrentados / Chained (2012)
V/H/S (2012)
The Bay (2012)
As Bruxas de Zugarramurdi / Las brujas de Zugarramurdi (2013)
Mar Negro (2013)
Amantes Eternos / Only Lovers Left Alive (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
O Que Fazemos nas Sombras / What We Do in the Shadows (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Sombra do Medo / Under the Shadow (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Fragmentado / Split (2016)
IT – A Coisa / IT (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Corra! / Get Out (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Um Lugar Silencioso / A Quiet Place (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
Nós / Us (2019)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
O Farol / The Lighthouse (2019)



* JARMESON DE LIMA

(Quando Eu Era Vivo)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Cisne Negro / Black Swan (2010)
Você é o Próximo / You’re Next (2011)
Ataque ao Prédio / Attack the Block (2011)
Livide (2011)
Byzantium: Uma Vida Eterna / Byzantium (2012)
V/H/S (2012)
Berberian Sound Studio (2012)
Infectado / Afflicted (2013)
The Den (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
Quando Eu Era Vivo (2014)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Visita / The Visit (2015)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
A Autópsia / The Autopsy of Jane Doe (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Rua Cloverfield, 10 / 10 Cloverfield Lane (2016)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Mãe! / Mother! (2017)
IT – A Coisa / IT (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
A Perfeição / The Perfection (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
O Farol / The Lighthouse (2019)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
Midsommar – O Mal Não Espera a Noite / Midsommar (2019)



* JOTA BOSCO

(Creep)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Cold Fish (2010)
O Caçador de Trolls / Trolljegeren (2010)
The Woman – Nem Todo Monstro Vive na Selva / The Woman (2011)
Ataque ao Prédio / Attack the Block (2011)
A Pele Que Habito / La piel que habito (2011)
Acorrentados / Chained (2012)
Stitches: O Retorno do Palhaço Assassino / Stitches (2012)
American Mary (2012)
As Bruxas de Zugarramurdi / Las brujas de Zugarramurdi (2013)
Invocação do Mal / The Conjuring (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
Olhos de Estrela / Starry Eyes (2014)
O Babadook / The Babadook (2014)
Creep (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
A Enviada do Mal / February (2015)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
O Homem nas Trevas / Don’t Breathe (2016)
Rua Cloverfield, 10 / 10 Cloverfield Lane (2016)
IT – A Coisa / IT (2017)
O Sacrifício do Cervo Sagrado / The Killing of a Sacred Deer (2017)
Corra! / Get Out (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
O Bar Luva Dourada / Der goldene Handschuh (2019)
Nós / Us (2019)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Menções honrosas:
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Kill List (2011)
Berberian Sound Studio (2012)
Mar Negro (2013)
O Que Fazemos nas Sombras / What We Do in the Shadows (2014)
Sala Verde / Green Room (2015)
Hush: A Morte Ouve / Hush (2016)
Pazúcus: A Ilha do Desarrego (2017)
A Perfeição / The Perfection (2018)



* JÚLIO CARVALHO

(Confissões / Confessions / Kokuhaku)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Bedevilled (2010)
Confissões / Confessions / Kokuhaku (2010)
Kill List (2011)
Culpada por Romance / Koi no tsumi (2011)
Eu sou um Fantasma / I Am a Ghost (2012)
Byzantium: Uma Vida Eterna / Byzantium (2012)
O Maníaco / Maniac (2012)
Rigor Mortis / Goeng See (2013)
A Casa do Fim dos Tempos / La Casa del Fin de Los Tiempos (2013)
Miss Zombie (2013)
O Babadook / The Babadook (2014)
Fatal Frame / Gekijô-ban: Zero (2014)
Corrente do Mal / It Follows (2014)
A Enviada do Mal / February (2015)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
Grave / Raw (2016)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
A Seita Maligna / The Void (2016)
As Boas Maneiras (2017)
O Rastro (2017)
Aterrorizados / Aterrados (2017)
Hereditário / Hereditary (2018)
Suspiria: A Dança do Medo / Suspiria (2018)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Morto Não Fala (2018)
Nós / Us (2019)



* OSVALDO

(As Fábulas Negras)
MELHORES DA DÉCADA
Eu vi o Diabo / I Saw the Devil (2010)
Tucker e Dale contra o Mal / Tucker and Dale vs Evil (2010)
Kill List (2011)
Enquanto Você Dorme / Mientras duermes (2011)
Pesadelos do Passado / The Pact (2012)
Excision (2012)
Resolution (2012)
Sob a Pele / Under the Skin (2013)
The Den (2013)
No One Lives (2013)
Quando Eu Era Vivo (2014)
Rastro de Maldade / Bone Tomahawk (2015)
As Fábulas Negras (2015)
O Lamento / The Wailing (2016)
O Homem nas Trevas / Don’t Breathe (2016)
A Seita Maligna / The Void (2016)
Happy Hunting (2017)
Plano Sequência dos Mortos / One Cut of the Dead (2017)
Mandy: Sede de Vingança / Mandy (2018)
Hereditário / Hereditary (2018)
Morto Não Fala (2018)
Predadores Assassinos / Crawl (2019)
Menções honrosas:
Rubber, O Pneu Assassino / Rubber (2010)
O Hóspede / The Guest (2014)
Aprisionados / Let us Prey (2014)
A Bruxa / The Vvitch (2015)
Invasão Zumbi / Train to Busan (2016)
Vida / Life (2017)
As Boas Maneiras (2017)
Brinquedo Assassino / Child’s Play (2019)
Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro / Scary Stories to Tell in the Dark (2019)

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo
Clique para comentar

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Dicas

DICA DA SEMANA: A Companhia dos Lobos (1984)

Publicados

em

Companhia dos Lobos

Acho lobisomem um monstro massa, no entanto, tenho que concordar com a maioria dos fãs de terror: achar um filme bom com essa criatura é meio dureza. Além do clássico da Universal The Wolf Man (1941), a gente pode citar a santíssima trindade do gênero Grito de Horror (1981), Um Lobisomem Americano em Londres (1981) e Bala de Prata/A Hora do Lobisomem (1985).

Mas os anos 80 também nos deram um filmaço, muitas vezes esquecido. Escrito e dirigido por Neil Jordan, A Companhia dos Lobos (The Company of Wolves, 1984) é uma das mais perfeitas misturas de terror e fantasia.

O roteiro, livre adaptação de um conto da escritora britânica Angela Carter, nos apresenta uma versão mais sinistra da história da Chapeuzinho Vermelho. Esqueça a cesta de doces e o lobo mau vestido de vovó. Quer dizer, até tem, mas tudo no filme foge dos contos de fadas tradicionais.

A obra de Jordan usa todo o imaginário presente nas clássicas histórias infantis para montar uma narrativa sobre a descoberta da sexualidade em uma sociedade opressora, principalmente para as mulheres. Os cenários artificiais, construídos para dar um aspecto onírico, acaba trazendo um tom angustiante ao filme.

Falar demais pode acabar atrapalhando a experiência. “A Companhia dos Lobos” é filmão cabeça, mas com lobisomem, sangue e sustos. Confia. Tem no YouTube.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: O Espectro do Sr. Boogedy (1986)

Publicados

em

Boogedy

Há um bom tempo atrás no século passado, a Disney tinha um programa semanal chamado “O Mundo Mágico da Disney“, aqui chamado de “Disneylândia” e que era exibido aleatoriamente na Tv aberta brasileira. Dentre os inúmeros episódios deste especial, um deles me chamou a atenção na época que vi. Com um tom diferente das fábulas em “live action” que nos acostumamos a ver, “O Espectro do Sr. Boogedy” (Mr. Boogedy) é uma verdadeira pérola escondida no catálogo da Disney+.

Mas por que Boogedy, uma produção da turma que detém os direitos do Pateta, do Thor e de Boba Fett está aqui como dica? Simplesmente porque tem algo nele que destoa um tanto de outras historinhas fantásticas que a Disney produz e produzia até então. Com pouco mais de 40 minutos, “O Espectro do Sr. Boogedy” é uma trama de fantasmas e de casa assombrada com atores reais, sustos e narrativa sobrenatural que ainda toca em temas sensíveis que poderiam ser considerados inadequados hoje em dia.

Vemos a família Davis indo a Lucifer Falls atrás de uma casa para morar e servir de base para guardar as quinquilharias de truques e brincadeiras que o patriarca vende. Ao chegar na mansão que procuram, são logo alertados que existe uma lenda a respeito de um tal de Boogedy que apavora os moradores do local. Mas é claro que se não ignorassem o aviso, não haveria história.

Então ao contrário dos pais que não se importam com a lenda, as crianças da família vão atrás até de historiadores da cidade para entender porque estão ouvindo vozes, porque os eletrodomésticos da casa estão ficando loucos e porque luzes acendem e se apagam nos cômodos da casa. É quando ficam sabendo que durante a colonização americana, um peregrino chamado Boogedy cobiçava uma mulher que diante de sua recusa, partiu para fazer um pacto com o diabo e ganhar poderes de forma a ter a mão dela de qualquer forma.

O tempo passa e advinhem quem está por trás de eventos sombrios na mansão da família Davis? Justamente o fantasma do peregrino em pessoa com sua cara deformada e um rastro de gosma pelo chão. O personagem inclusive pode ter inspirado o vilão do segundo filme dos Caça-Fantasmas, mas aqui estou divagando…

Com referências sutis a filmes clássicos de horror e efeitos até um tanto datados que compõem o charme da época, este telefilme causou um inesperado sucesso a ponto de lançarem um ano depois “A Noiva de Boogedy“. E como a Disney conhece bem o seu público, “O Espectro do Sr. Boogedy” pode até soar estranho hoje, mas é suficientemente nostálgico para os adultos e capaz de entreter as crianças desta geração.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Dicas

DICA DA SEMANA: Gremlins (1984)

Publicados

em

Gremlins

O Natal está aí batendo na porta. A maioria das pessoas se prepara para festejar com familiares e amigos, escutar piadas sem graças dos tios, forrar o bucho com comidas típicas da época (menos as frutas cristalizadas, porque essa quase ninguém gosta) e fechar a cara se alguém elogiar o bozo durante a ceia. Agora imagina essa festa sendo invadida por monstrinhos sedentos por diversão e caos, o quão legal seria? Por isso é que neste ano falaremos de “Gremlins”, um horror infantil que marcou gerações.

Falar desse filme é voltar no tempo onde um Felipe por volta dos 6 anos ficou horrorizado e maravilhado com o que via em tela. O filme passava nas tardes em sessões voltadas ao público jovem, algo que hoje isso jamais aconteceria. Embora tenha sim um foco mais no infantil, o longa tem cenas pesadas e até gore e a algazarra e citações protagonizadas pelos monstrinhos são mesmo para adulto ver.

Durante uma visita a Chinatown, um pai em busca de um presente especial para seu filho, se depara com uma loja de antiguidades diferentes. Entre os itens vendidos, encontramos Gizmo, um bichinho bem raro e muito fofo. Após uma longa negociação com seu antigo dono, o senhor consegue comprar o animal com a condição de que nunca irá molhá-lo, alimentá-lo depois da meia-noite ou expor a uma luz forte. Mas uma vez nas mãos da nova família, essas regras logo serão quebradas e um pandemônio se formará na cidade, já que os gremlins estão à solta na noite de Natal e o que mais querem é destruir tudo.

O diretor Joe Dante junto com o roteirista Chris Columbus souberam captar o clima natalino, esbanjando carisma com seus personagens. O toque principal fica por conta de Gizmo, que é a coisa mais fofa do mundo até os dias de hoje. O pequeno herói junto com seu novo dono tem uma jornada incrível de amadurecimento e coragem e por que não, amor? Seus antagonistas, por mais horrendos que sejam, são um capítulo a parte: perversos, maliciosos e também incrivelmente carismáticos.

Se falei do clima natalino, não poderia deixar de falar também do horror. “Gremlins” é, sem sombra de dúvidas, pertencente ao gênero com suas cenas tensas e violentas que incluem até assassinato (de forma bem sutil, claro). O tom anárquico é outra coisa que deve ser mencionada. A cena no cinema onde os monstros assistem a um clássico da Disney é impagável. Impossível não mencionar a icônica trilha sonora de Jerry Goldsmith, cuja música tema ecoou por toda uma geração. Os efeitos todos práticos são um show a parte. Alguns podem parecer datados, mas no geral continuam muito eficientes e assustadores.

Gremlins” é um filme atemporal. Sua mensagem é eterna e muito bonita. Um filme que dificilmente seria realizado hoje e espero sinceramente que os planos de sequência/remake sejam deixados de lado. Um ótimo passatempo para quem está cansado de romances adocicados típicos dessa época e que estejam a procura de um filme natalino um tanto diferente. É possível assisti-lo no catálogo da HBOMAX e no especial de fim de ano da Darkflix.

Gosta de nosso trabalho? Então nos dê aquela forcinha contribuindo através do PicPay!

Continue lendo

Trending